GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Maio 2014 GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Maio 2014

sábado, 31 de maio de 2014

Guns N' Roses The Joint 30.05.2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


Confira o setlist, fotos e vídeos do quinto show do Guns N' Roses no The Joint no Hard Rock Hotel Casino em Las Vegas.

Duff McKagan vai tocar com Guns N' Roses em Las Vegas


Como estava sendo especulado pelos fãs, o baixista Duff McKagan vai tocar com o Guns N' Roses no The Joint no Hard Rock Hotel & Casino em Las Vegas.

A confirmação veio neste sábado (31) através do twitter do The Joint, a casa de shows onde está sendo realizada a residência, "No Trickery! An Evening of Destruction". De acordo com o tweet, Duff irá participar do show que acontece hoje, 31 de maio, e não contém nenhuma outra informação sobre uma possível participação em alguma das três apresentações restantes, que acontecerão nos dias 4, 6 e 7 de junho.

Está é segunda residência da banda no The Joint. A primeira ocorreu em 2012, intitulada “Appetite for Democracy“, com uma série de 12 shows.


Zakk Wylde: "Nenhuma banda conseguia acompanhar o Guns N' Roses"


Em entrevista ao site Loudwire no tapete vermelho do Golden Gods Awards 2014, premiação anual dedicada ao hard rock e heavy metal promovida pela revista norte-americana Revolver Magazine, o guitarrista Zakk Wylde [Ozzy Osbourne, Black Label Society] se pronunciou sobre o grande homenageado daquela noite, o vocalista do Guns N' Roses, W. Axl Rose.

Perguntado sobre a banda, Wylde respondeu:

“Eles usaram mais prostitutas, mais strippers, mais cocaína, mais heroína e mais álcool do que qualquer outra banda, e nenhuma das outras bandas conseguia acompanhar eles. Nenhuma delas, e, portanto, eles foram declarados os óbvios campeões. É por isso que os amamos.”

Zakk foi chamado para se juntar ao Guns N' Roses no meio dos anos 90 mas, acabou optando por não entrar na banda, todavia ainda nutre grande respeito por ela.

Confira a entrevista em vídeo para a jornalista Full Metal Jackie – no original em inglês – abaixo:


Fonte:whiplash.net

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Guns N’ Roses lançará “Appetite for Democracy” em Julho


O Guns N' Roses vai lançar o "Appetite For Democracy 3D: Live From The Hard Rock Casino - Las Vegas" em 1 de Julho via Universal Music Enterprises. O show foi filmado em 21 de novembro de 2012durante a "Appetite For Democracy" tour em comemoração aos 25 anos de "Appetite For Destruction" e quatro anos do "Chinese Democracy".

"Appetite For Democracy 3D: Live From The Hard Rock Casino - Las Vegas" estará disponível na América do Norte em Blu-ray, com o show completo em 3D e 2D, mais uma galeria de fotos 3D interativa e em DVD padrão com a versão em 2D do filme. Ambas as versões estão mixadas em som surround 5.1 e apresentam entrevistas bônus com a banda. A Appetite For Democracy GN'R Oficial App (iOS / Android) traz a experiência de um concerto para um novo nível, ligando o GN'R diretamente aos seus fãs, permitindo que eles se conectem uns com os outros através das mídias sociais, comprem material exclusivo, checar datas de shows / datas de exibição do filme nos cinemas, visualização de faixas digitais do filme; e compra ou streaming via VOD do show em formato digital.

Produzido por Barry Summers, da Rock Fuel Media , "Appetite For Democracy 3D: Live From The Hard Rock Casino - Las Vegas" é o primeiro vídeo oficial do Guns N' Roses desde os "Use Your Illusion" de 1992.

"Appetite For Democracy 3D: Live From The Hard Rock Casino - Las Vegas" tracklist:

01. Chinese Democracy
02. Welcome To The Jungle
03. It's So Easy
04. Mr. Brownstone
05. Estranged
06. Rocket Queen
07. Live and Let Die
08. This I Love
09. Better
10. Motivation (Tommy Stinson song)
11. Catcher In The Rye
12. Street Of Dreams
13. You Could Be Mine
14. Sweet Child O' Mine
15. Another Brick In The Wall Part 2 (PINK FLOYD cover)
16. November Rain
17. Objectify (Bumblefoot song)
18. Don't Cry
19. Civil War
20. The Seeker (THE WHO cover)
21. Knockin' On Heaven's Door (BOB DYLAN cover)
22. Nightrain
23. Don't Let It Bring You Down (NEIL YOUNG cover)
24. Used To Love Her
25. Patience
26. Paradise City


Fonte: whiplash.net

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Confira entrevista de Axl Rose para a Revolver Magazine


A edição número 115 de junho/julho da Revolver Magazine traz uma entrevista exclusiva com Axl Rose, que também é capa da nova edição da revista. Confira abaixo:

"Nós gravamos muitas coisas antes do Chinese ter saído. Nós trabalhamos mais nessas coisas e escrevemos outras coisas novas. Mas basicamente, nós temos o que eu meio que chamo como a segunda parte do Chinese. Isso já está gravado. Também temos um disco de remixes das músicas do Chinese. Isso já está pronto há um tempo também. Mas depois de Vegas, começaremos a ver muito seriamente o que faremos a respeito disso."

AXL ROSE – O FRONTMAN DO GUNS N' ROSES E GANHADOR DO RONNIE JAMES DIO LIFETIME ACHIEVEMENT AWARD NÃO CONTA MENTIRAS.

"Nós brincamos no backstage que depois de eu ter ido receber meu prêmio, vocês iriam me enfiar em um tubo ou coisa assim, como no The Running Man," (NOTA: Romance do escritor Stephen King, “O Concorrente” em Português) Axl Rose diz com uma risada. "Eu preciso cair nessa e lutar ou coisa assim..."

Para o alívio de Rose, ao aceitar seu prêmio Ronnie James Dio Lifetime Achievement, a Revolver não o mandou, com estátua em mãos, para batalhar contra guerreiros subterrâneos. Mas seguindo os discursos da lenda da comédia Andrew "Dice" Clay e de um empolgado Nicolas Cage, Rose realmente foi para o trabalho. O cantor e seus companheiros de Guns N' Roses – guitarristas DJ Ashba, Bumblefoot e Richard Fortus; tecladistas Dizzy Reed e Chris Pitman; baterista Frank Ferrer; e o Gunner original Duff McKagan. (substituindo o baixista atual, Tommy Stinson, que está afastado para uma reunião de sua antiga banda, The Replacements) — subiu ao palco do Golden Gods para encerrar o show em grande estilo, tocando um set de 9 músicas e mais de uma hora de duração, contando com clássicos do Appetite for Destruction ("It's So Easy," "Welcome to the Jungle," "Paradise City") e Use Your Illusion ("You Could Be Mine," "November Rain," "Knockin' on Heaven's Door"), com algumas músicas do Guns do século 21 (as faixas do Chinese Democracy "Better" e "This I Love") fazendo um bom balanço. Foi uma performance dinâmica que cobriu sua carreira, condizendo com um artista que acabara de ser honrado com um prêmio de conquistas da sua carrira. O que não quer dizer que todas essas conquistas estão no passado. Como Rose diz à Revolver em sua rara e exclusiva entrevista, há ainda muito trabalho pela frente para o Guns N' Roses, tanto nos palcos e, ele revela, no estúdio. (A banda lançará um novo DVD e Blu-Ray, Appetite For Democracy 3D: Live at the Hard Rock Casino - Las Vegas, no dia 1º de Julho.) Então, enquanto ele estava feliz por aceitar seu Lifetime Achievement Award, ele também deixou claro que ele ainda está longe de se aposentar.

"Esperançosamente, ainda terão mais alguns anos," Rose diz, "e então poderemos julgar tudo um pouco melhor." Ele ri novamente. "Se eu tiver sorte!"

Parabéns pelo Ronnie James Dio Lifetime Achievement Award.
Obrigado. Foi na verdade uma surpresa para mim. E eu agradeço e tudo mas, pessoalmente, eu não sinto que fiz o suficiente para ter um prêmio de conquistas ao longo da minha vida. Mas isso sou apenas eu. Eu sei que outras pessoas ficaram muito felizes por mim quanto a isso então isso é uma coisa boa. Eu penso sinto como, você sabe, foi um longo, lento processo além da compreensão com Chinese Democracy, mas ele ainda está seguindo em frente e há muito mais que esperamos fazer.

Foi um momento legal quando Nicolas Cage veio lhe entregar sua estátua.
"Ele é um grande fã. Não havíamos nos conhecido antes, mas soube que ele se ofereceu para fazer isso. Então isso deu certo e nos encontramos antes do show e foi muito legal. Mas eu não ouvi nada do que ele ou o Dice falaram sobre mim no palco. Não veio nada no meu in-ear (monitores). E realmente, qualquer coisa que eles falaram de fato que foi elogioso, é provavelmente melhor que eu não tivesse ouvido para que eu não ficasse mais sem graça."

Uma coisa que Nicolas Cage de fato admitiu foi que ele se preparou para seu papel de Johnny Blaze no filme ”O Motoqueiro Fantasma” estudando sua “dança da cobra” no palco.
"Ele me disse isso antes do show! Pois estávamos falando de alguns de seus filmes e eu disse que realmente gostei do segundo “Motoqueiro Fantasma”. Então ele me contou sobre isso. Ele disse que foi como se eu estivesse no filme."

Então quando você o assistiu, você parou e disse, “Espera aí...”
[Risos] Eu não sei quanto a isso. Embora gostaria de ter algumas daquelas habilidades...

Como Dice se envolveu com a apresentação?
Eu conheço o Dice há muito tempo. Mas não o víamos desde que tocamos na Gibson Amphitheatre [em L.A.], em '06, eu acho. E eu não sei exatamente como tudo se acertou com seu discurso, mas ele me perguntou antes do show se eu havia lhe enviado uma mensagem no Gmail. Eu disse “Não, não uso Gmail.” Então alguém provavelmente estava falando com ele por lá fingindo ser eu.

A atração principal do Golden Gods geralmente toca 4 ou 5 músicas. Guns N' Roses tocou 9.
Nós queríamos fazer isso. Ficamos muito felizes que vocês nos permitiram isso. Ficamos felizes de termos sido convidados e nos divertimos lá.

E mesmo assim pro Guns isso foi uma performance curta – vocês são conhecidos por fazerem shows que chegam perto de 3 horas.
Quando fazemos isso, como banda, sabemos que demos o máximo que poderíamos e o que parecia certo. E, geralmente, gostamos de dar às pessoas mais do que elas sentem que vale o que pagaram. Não sei se é necessariamente justo para as pessoas esperarem isso de nós, mas é algo que nos faz bem quando o fazemos. Como se nós topássemos o desafio e o batemos sem termos seguido o caminho mais fácil. Nós gostamos disso.

Há uma música sua que seja sua favorita de tocar nos palcos?
Eu realmente não consigo pensar em uma favorita. Eu meio que olho para qualquer tipo específico de show que temos de fazer como um todo. Mas uma coisa que eu realmente gosto de fazer quando não estou tocando ou cantando no palco é falar ao microfone com os outros caras pelo sistema de monitoramento e contar piadas e falar coisas pra tentar zoá-los enquanto tocam. [Risos]

Sério? Quem é o mais fácil de zoar?
DJ e Dizzy. Eu falo com eles durante seus solos. Isso é sempre muito divertido...

Duff nos contou que fora uma grande experiência para ele tocar novamente com o Guns.
Tudo correu muito bem. Demos muito duro e ele gostou de tocar as músicas mais novas do Chinese. E você sabe, é muito engraçado pois nós íamos falar sobre algumas coisas dos Illusions, e tem algumas coisas que ele não se lembra, tem coisas que eu não me lembro. Nós meio que completamos a memória um do outro. E o Duff que tocou esses shows não é o Duff que eu conhecia do que chamo “Guns Antigo” ou da formação do Appetite ou dos Illusions. Pois com esta formação, todos tentam fazer o seu melhor e todos estão focados. Eu não preciso falar pros outros caras o que eles precisam fazer, eles fazem por conta própria. Eles forçam muito uns aos outros. Isso também forçou o Duff, e ele gostou desse desafio. E ele se deu muito bem com os caras. Ele e alguns caras da banda e da equipe estavam fazendo o Yoga deles juntos durante as folgas, então...

Eu imagino que isso não é o que acontecia naqueles anos.
Antigamente? Não. Definitivamente não havia Yoga. [risos] Nessa hora eles beberiam o máximo que pudessem. E eles tinham esse jogo onde eles pulavam sobre um buraco e batiam contra uma cerca. Depois escorregavam pelo buraco, como se estivessem em coma. Essa era a versão de exercícios deles antigamente.

Foi ótimo ver você e o Duff dividindo os vocais em "It's So Easy," como nos velhos tempos.
Tem uma coisa divertida sobre alguns desses shows. Pois também tem essa fala em "Civil War" — "Peace could last forever." Duff escreveu essa parte, e ele a canta. E eu sempre fui fã da voz do Duff. Tem um elemento punk nela e eu sinceramente a adoro. Eu gosto de ouví-la.

Você acha que você e o Duff farão mais coisas juntos?
É possível. Ainda não sei. Depende de agenda, em quais shows Tommy quer fazer com o Replacements e coisas assim. E você sabe, quase todo mundo da banda tem algum tipo de problema rolando, pessoalmente. Há pessoas que perderam familiares. Outros estão lidando com separações. As vezes o tribunal se mete no caminho. Vida real!

Em que pé estão as gravações de novas músicas do Guns N' Roses?
Nós gravamos muitas coisas antes do Chinese ter saído. Nós trabalhamos mais nessas coisas e escrevemos outras coisas novas. Mas basicamente, nós temos o que eu meio que chamo como a segunda parte do Chinese. Isso já está gravado. Também temos um disco de remixes das músicas do Chinese. Isso já está pronto há um tempo também. Mas depois de Vegas [O Guns N' Roses fez uma residência no Hard Rock Hotel & Casino que foi até começo de Junho], começaremos a ver muito seriamente o que faremos a respeito disso.

Quando você estava começando com o Guns, qual era a sua ideia de sucesso?
Bem, eu acho que o Guns n' Roses conseguiu muito disso. Houve coisas que te desiludiram, mas houve muitas coisas que poderiam ser consideradas como ter alcançado o sucesso. A quantidade de vendas. A quantidade de pessoas que curtiram isso. Coisas assim. Mas eu acho que por mais que tentamos ficar acima dos negócios, nós fomos muito inocentes no que tange os negócios. Eu acho que houve coisas que poderíamos ter feito melhor, e eu acho que os selos e advogados e os homens do departamento artístico sabiam disso. Mas eles queriam que a banda fosse montada de uma forma que eles pudessem tentar manipular. E isso não deu certo para ninguém. Incluindo eles. Sabe, nós ainda não fizemos o que eu considero uma verdadeira turnê nos EUA [com a formação atual] por causa de antigos empresários e agentes tentando manipular isso para que não tivesse o sucesso que poderia ter. Para tentar me convencer a querer uma reunião [da formação original].

Você acha que as pessoas te forçaram a tentar fazer isso acontecer?
Bem, eu acho que há pessoas na indústria que acham que eles poderiam ganhar algum dinheiro com isso. Então é isso que eles querem. Mesmo a nossa última turnê em arenas nos EUA, que foi montada por outro empresário e agente, que eventualmente liberamos e assumimos nós mesmos ao longo da turnê. Mas na época que a assumimos, muito já estava decidido. Então nós fizemos isso funcionar para nós, mas se tivesse sido montado da forma que achávamos que deveria ter sido montado desde o princípio isso poderia ter feito mais sucesso do que fez.

Parece que, quando você relembra a sua carreira, você tem alguns arrependimentos.
Eu acho que falar que você não tem arrependimentos virou algo popular para muitas estrelas do pop ao longo dos anos. Eu não acredito nisso. Então sim, há coisas que eu poderia ter feito melhor...ou não. Ao mesmo tempo, eu não sei se eu teria sido capaz de fazer muitas coisas, quanto ao Guns N' Roses e o que aconteceu, de forma diferente.

Como ganhador do Lifetime Achievement Award da Revolver, quem você acha que merece receber esse prêmio?
É difícil dizer. Mick Jagger? Para mim, Mick Jagger é um dos maiores atletas que já viveu, apenas pelo quanto ele se entrega no palco. Eu vi os Stones em Vegas na sua última turnê e é evidente o quanto eles dão duro naquilo.

Como o Jagger, você se vê fazendo isso aos 70?
Eu estou começando a chegar lá! [risos] O maldito te obriga a trabalhar nisso, não é? — com Guns N' Roses.















Fonte: Perfectcrime.com

Guns N' Roses The Joint 28.05.2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


Confira o setlist, fotos e vídeos do quarto show do Guns N' Roses no The Joint no Hard Rock Hotel Casino em Las Vegas. A "No Trickery! An Evening of Destruction" terá ao todo nove shows que serão realizados entre os dias 21 de maio e 7 de junho.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Axl comenta pesquisa que o elegeu o cantor com a maior extensão vocal


Após ter sido eleito pelo site Concert Hotels, o vocalista com a maior extensão vocal de todos os tempos, Axl Rose comentou sobre a pesquisa realizada e elegeu os seus cantores preferidos. Confira abaixo:

"Um grande agradecimento a todos os fãs e mídia pelos parabéns quanto ao artigo da Spin sobre os melhores vocalistas.

Pelo que eu pude ver, o artigo original falava praticamente apenas sobre alcance vocal gravado profissionalmente dos cantores comparados chamando todo o grupo de "Os Melhores Cantores do Mundo". Fico lisonjeado por ser incluído em um grupo tão ilustre.

Se eu tivesse que falar quem eu acho que foram os melhores cantores, eu primeiro diria que eu não sei se há uma resposta definitiva pois em minha opinião isso é subjetivo, e segundo que meu foco é primariamente em cantores de rock.

Dito isso, eu gosto de Freddie Mercury, Elvis Presley, Paul McCartney, Dan McCafferty, Janice Joplin, Michael Jackson, Elton John, Roger Daltrey, Don Henley, Jeff Lynne, Johnny Cash, Frank Sinatra, Jimmy Scott, Etta James, Fiona Apple, Chrissie Hynde, Stevie Wonder, James Brown e muitos outros (predominantemente cantores de rock dos anos 70) e eu preferiria ouvir QUALQUER UM deles em qualquer hora a me ouvir! 

Paz!

Axl"


Fonte: Spin.com
Tradução: Perfectcrime.com

terça-feira, 27 de maio de 2014

Izzy Stradlin vai tocar com Guns em Las Vegas


De acordo com o fã clube Izzy’s Army, o ex-guitarrista do Guns N’ Roses, Izzy Stradlin vai tocar com a banda nos dias 30 e 31 de maio em Las Vegas, no Hard Rock Hotel & Casino, como convidado especial.

Além de Izzy, é possível que Duff McKagan também participe de algum show da residência, intitulada "No Trickery! An Evening of Destruction". Desde 2006, Izzy Stradlin tem sido convidado especial em alguns shows do Guns N’ Roses.

Atualização:
Izzy Stradlin não participou dos shows que foram citados mas, o baixista Duff Mckagan se apresentou com a banda no dia 31 de maio, tocando o show completo.


Fonte: gunsnrosesbrasil.com

Slash divulga nome, capa e tracklist do novo álbum

Slash divulgou a arte da capa, o título e a data de lançamento de seu terceiro álbum solo. "World of Fire", contará novamente com a parceria da banda Myles Kennedy & The Conspirators. O disco chega às lojas no dia 15 de setembro pelo selo Dik Hayd International (gravadora de Slash), com distribuição mundial pela Roadrunner Records.

A arte da capa, que você pode conferir acima, leva a assinatura do artista americano contemporâneo Ron English. Ao total serão 17 canções, incluindo uma instrumental. A produção ficou à cargo de Michael “Elvis” Baskette, que já produziu Alter Bridge, Falling in Reverse, Incubus entre outros. O trabalho já está disponível para pré-venda no iTunes AQUI.

"World of Fire" tracklist:

01. World on Fire
02. Shadow Life
03. Automatic Overdrive
04. Wicked Stone
05. 30 Years to Life
06. Bent To Fly
07. Stone Blind
08. Too Far Gone
09. Beneath the Savage Sun
10. Withered Delilah
11. Battleground
12. Dirty Girl
13. Iris of the Storm
14. Avalon
15. The Dissident
16. Safari Inn
17. The Unholy

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Guns N' Roses The Joint 25.05.2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


Confira o setlist, fotos e vídeos do terceiro show da "No Trickery! An Evening of Destruction". A segunda residência do Guns N' Roses no The Joint no Hard Rock Hotel & Casino em Las Vegas.

domingo, 25 de maio de 2014

Guns N' Roses The Joint 24.05.2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


Confira o setlist, fotos e vídeos do segundo show da residência do Guns N' Roses no The Joint no Hard Rock Hotel & Casino em Las Vegas. A apresentação faz parte da "No Trickery! An Evening of Destruction", a segunda temporada do grupo no The Joint. A banda ainda irá se apresentar nos dias 25, 28, 30 e 31 de maio e nos dias 4, 6 e 7 de junho.

sábado, 24 de maio de 2014

Slash toca hino dos EUA antes de jogo de Hóquei


Neste sábado (24), Slash tocou o hino nacional dos Estados Unidos antes de um jogo de Hóquei no gelo em Los Angeles, Califórnia. A apresentação foi no Staples Center na partida entre LA Kings e Chicago Blackhawks. A versão do guitarrista para “The Star-Spangled Banner'' ('A Bandeira Estrelada' hino nacional dos EUA), agradou bastante ao público presente. Confira como foi a performance no vídeo a seguir:


sexta-feira, 23 de maio de 2014

Confira a arrecadação do Guns N’ Roses pela América Do Sul


A Billboard divulgou recentemente detalhes da arrecadação e público da turnê do Guns N' Roses pela América Do Sul. A "South American Tour 2014" passou por quatro países com um total de doze apresentações, sendo nove no Brasil.

As cidades que receberam a banda foram, Rio de Janeiro (20 de março), Belo Horizonte (22 de março), Brasília (25 de março), São Paulo (28 de março), Curitiba (30 de março), Florianópolis (1º de abril), Porto Alegre (3 de abril), Buenos Aires (06 de abril), Assunção (09 de abril), Bolívia (12 de abril), Recife (15 de abril) e Fortaleza (17 de abril).

Os últimos shows da turnê contaram com Duff McKagan no baixo, que estava substituindo temporariamente o atual baixista, Tommy Stinson. Confira abaixo os dados:

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: HSBC Arena
Cidade/Estado: Rio de Janeiro, Brazil
Data: Março 20, 2014
Faturamento bruto: $963,193
Público/Capacidade: 10,425 / 12,928
Preços dos ingressos: $238.53, $87.16

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Esplanada do Mineirao
Cidade/Estado: Belo Horizonte, Brazil
Data: Março 22, 2014
Faturamento bruto: $1,404,427
Público/Capacidade: 16,342 / 25,000
Preços dos ingressos: $183.49, $50.46

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Ginasio Nilson Nelson
Cidade/Estado: Brasilia, Brazil
Data: Março 25, 2014
Faturamento bruto: $848,744
Público/Capacidade: 10,843 / 12,000
Preços dos ingressos: $128.44, $45.87

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Arena Anhembi
Cidade/Estado: Sao Paulo, Brazil
Data: Março 28, 2014
Faturamento bruto: $2,090,395
Público/Capacidade: 18,000 / 35,000
Preços dos ingressos: $266.06, $123.85

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Estadio Durival Britto e Silva
Cidade/Estado: Curitiba, Brazil
Data: Março 30, 2014
Faturamento bruto: $1,271,180
Público/Capacidade: 11,180 / 20,000
Preços dos ingressos: $275.23, $100.92

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Devassa On Stage
Cidade/Estado: Florianopolis, Brazil
Data: April 1, 2014
Faturamento bruto: $1,021,262
Público/Capacidade: 9,902 / 11,100
Preços dos ingressos: $146.79, $100.92

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Pavilhao da FIERGS
Cidade/Estado: Porto Alegre, Brazil
Data: April 3, 2014
Faturamento bruto: $1,198,083
Público/Capacidade: 12,197 / 12,197
Preços dos ingressos: $220.18, $59.63

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Estadio de Ferrocarril Oeste
Cidade/Estado: Buenos Aires, Argentina
Data: April 6, 2014
Faturamento bruto: $1,161,415
Público/Capacidade: 16,525 / 24,659
Preços dos ingressos: $125, $37.50

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Jockey Club
Cidade/Estado: Asuncion, Paraguay
Data: April 9, 2014
Faturamento bruto: $646,323
Público/Capacidade: 11,232 / 30,000
Preços dos ingressos: $207.57, $36.90

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Estadio Hernando Siles
Cidade/Estado: La Paz, Bolivia
Data: April 12, 2014
Faturamento bruto: $643,560
Público/Capacidade: 12,000 / 30,000
Preços dos ingressos: $256.65, $35.93

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Chevrolet Hall
Cidade/Estado: Recife, Brazil
Data: April 15, 2014
Faturamento bruto: $1,180,640
Público/Capacidade: 10,630 / 12,000
Preços dos ingressos: $642.20, $55.05

Artista: GUNS N’ ROSES
Local: Centro de Eventos do Ceara
Cidade/Estado: Fortaleza, Brazil
Data: April 17, 2014
Faturamento bruto: $1,264,417
Público/Capacidade: 14,570 / 15,000
Preços dos ingressos: $458.72, $41.28

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Guns N’ Roses The Joint 21.05.2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


O Guns N' Roses realizou ontem (21) o primeiro show da segunda residência da banda no The Joint no Hard Rock Hotel & Casino em Las Vegas. A "No Trickery! An Evening of Destruction", como é chamada, terá nove shows entre os dias entre os dias 21 de maio e 7 de junho. A primeira temporada foi em 2012, intitulada Appetite For Democracy, com um total de 12 apresentações. Confira abaixo o setlist, fotos e vídeos desta segunda residência:

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Guns N' Roses nega rumores sobre aposentadoria de Axl Rose


O Guns N' Roses negou rumores divulgados recentemente de que Axl Rose iria se aposentar após a segunda residência da banda em Las Vegas.

O site Radaronline.com publicou nesta quarta-feira (21) que, segundo uma fonte próxima à banda, Axl estaria  “considerando se aposentar" e que "membros da banda e equipe de produção ficaram surpresos quando souberam da notícia, e estão atrás de outros trabalhos". Ainda de acordo com a notícia, o músico já teria "dinheiro o suficiente" e queria "parar de fazer turnês”.

A velocidade com o qual esses rumores se espalharam rapidamente entre fãs, fez com que a banda viesse a público desmentir o fato relatado pela matéria. De uma maneira bem humorada, publicou em seu facebook oficial uma foto com os dizeres, "Eu não vou a lugar nenhum", com a seguinte legenda "Os fãs de Guns N' Roses com certeza tem um 'Radar' para besteiras! Amo todos vocês!!!", com um trocadilho com o nome do site.




Esta não foi a primeira vez e nem será a última que rumores e/ou especulações sobre determinados assuntos relacionados ao Guns N' Roses irão circular na rede. A confirmação pode vir ou não. Vale lembrar que toda informação que não venha diretamente da banda, deve ser levado com o devido cuidado.

O Guns N' Roses começa hoje sua segunda residência no The Hard Rock Hotel & Casino em Las Vegas. A "No Trickery! An Evening Of Destruction", como é chamada, é composta por nove shows que acontecem nos dias 21, 24, 25, 28, 30 e 31 de maio e nos dias 4, 6 e 7 de junho.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Site elege Axl Rose cantor com maior extensão vocal de todos os tempos


O site ConcertHotels.com elegeu Axl Rose o vocalista com a maior extensão vocal de todos os tempos. De acordo com o gráfico publicado, o líder do Guns N' Roses, tem um alcance vocal de cinco oitavas.

A lista incluiu cantores de variados estilos que foram classificados pela ordem de sua extensão vocal, notas mais altas (aguda) e notas mais baixas (grave) atingidas em estúdio.

Dos três rankings elaborados, Axl ficou em primeiro lugar em dois, extensão vocal e notas mais baixas, ficando em quarto lugar nas notas mais altas. Confira abaixo:

Top 10 Extensão Vocal :

1. Axl Rose
2. Mariah Carey
3. Prince
4. Steven Tyler
5. James Brown 
6. Marvin Gaye
7. Christina Aguilera
8. David Bowie
9. Paul McCartney
10. Thom Yorke
Top 10 Notas Mais Altas:

1. Mariah Carey
2. Christina Aguilera
3. Prince
4. Axl Rose 
5. Tina Turner
6. Kelly Clarkson
7. Steven Tyler
8. James Brown 
9. Thom Yorke
10. Freddie Mercury
Top 10 Notas Mais Baixas:

1. Axl Rose
2. Barry White
3. David Bowie
4. Tom Waits
5. Paul McCartney
6. Elvis Presley
7. John Lennon
8. Roger Daltrey
9. Iggy Pop
10. Johnny Cash




segunda-feira, 19 de maio de 2014

Empresa adquire direitos de filme sobre Duff McKagan


A Xlrator Media anunciou que adquiriu os direitos de distribuição na América do Norte do documentário sobre a vida de Duff McKagan, baseado em seu livro autobiográfico "It’s So Easy And Other Lies".

O filme vai contar a trajetória de Duff desde sua adolescência, do auge à queda, a ascensão rumo ao estrelato no Guns N' Roses, o abuso de drogas, dependência química e sua reabilitação.

"Todas essas coisas definiram Duff e o levaram ao seu capítulo de vida atual e mais gratificante. Todos ficarão emocionados com sua história" disse Barry Gordon, diretor executivo da XLrator Media. "O filme é um olhar sobre a vida de um dos mais emblemáticos músicos da história do Rock", contou Lise Romanoff.

Duff: "Sou um dos afortunados que sobreviveram as graves provações da dependência de drogas e álcool. Não só sobrevivi, como sou abençoado em ver a vida de uma perspectiva totalmente diferente e mais brilhante. Espero expor algumas dicas e coisas engraçadas da minha vida de rock n' roll".

O longa apresentará arquivos raros de Marc Canter, imagens de bastidores e shows nos primórdios do Guns N' Roses, como também entrevistas com pessoas que fizeram parte desta época, incluindo astros do rock e com pessoas que o ajudaram a superar seus vícios.

O projeto tem direção e roteiro de Christopher Duddy e conta o próprio Duff McKagan como um dos produtores, completado por Daniel Zirilli e Steven G Kaplan. Os produtores executivos são Lise Romanoff, Gato Scatena, Jordan Rosner, Birgit Stein, Hans Stangl e Katherine Thomson. O filme está atualmente em produção, com financiamento da Scatena & Rosner Films.

sábado, 17 de maio de 2014

Guns N’ Roses Rock on the Range 2014 - Setlist, Fotos e Vídeos


O Guns N' Roses se apresentou na noite desta sexta-feira (16) no Rock on the Range no Crew Stadium em Columbus, Ohio. A banda subiu ao palco às 21:30h e foi a atração principal da primeira noite do festival. Confira abaixo o setlist, fotos e vídeos:

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Slash: banda teve "grande química" em próximo álbum


Robert Herrera, do FrontRowLiveEnt.com, falou com Slash no tapete vermelho na última segunda, 12 de maio, no MusiCares MAP fund. O guitarrista falou sobre o seu terceiro álbum solo, que ele e seus companheiros do Myles Kennedy and The Conspirators acabaram de gravar.

“É um grande disco. Está pronto. Nós nos divertimos bastante no estúdio. Todos os caras são ótimos – realmente grandes personalidades para se lidar, indivíduos realmente talentosos. Então é bem tranquilo, mas esse disco em particular, sendo nosso segundo juntos, realmente nos mostrou que a banda evoluiu bastante e nós temos uma grande química. Quando chegar a hora, você vai saber do que eu estou falando.”

Slash recentemente contou à revista Kerrang! sobre seu novo CD: “Tudo que posso lhe dizer que é um disco realmente bom. Estou muito orgulhoso dele, mas eu não quero entrar m ‘Ah, cara, é épico’, ou ‘é a coisa mais pesada de todas’, é bem rock and roll e, como sempre, é bem diverso e estou super, super orgulhoso de tudo que colocamos coletivamente em fazer este disco.”


Fonte:whiplash

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Dj Ashba: "Não tento ser o Slash"


Kristyn Clarke do UnskinnyPop.com, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista Dj Ashba (SIXX: A.M. / Guns N' Roses). Confira abaixo alguns trechos da conversa:

Sobre fazer parte de uma banda lendária como Guns N' Roses:
"Isso tudo para mim ainda é surreal. De vez em quando tenho que me beliscar. Geralmente não, só até alguém me fazer essa pergunta e paro para pensar sobre isso, já que estou tão envolvido no trabalho. Sim, é surreal, especialmente olhando para trás, indo cantar 'Paradise City' e Duff [McKagan] está lá cantando comigo, é tipo, 'Uau!' Então olho para Axl [Rose], é muito surreal e legal, um momento incrível."

Se os fãs podem esperar para ouvir alguma música nova do Guns N' Roses num futuro não muito distante:
"Quando entrei na banda, há cinco anos, eles tinham material para três álbuns gravados. Há uma tonelada de coisas que ninguém ouviu falar que é muito, muito bom. Claro, sou um compositor, produtor e assim que são muitos dos outros caras, então cada um tem sua pilha de canções. Estamos em um ponto onde não temos falta de material, temos em abundância. Realmente temos que nos sentar e peneirar isso e fazer o melhor sentido de tudo."

Sobre seu estilo de tocar guitarra e dominar o catálogo do Guns N' Roses, dando as canções seu próprio estilo, embora ainda permanecendo fiel ao original:
"Penso que o estilo de alguém vem de como estão tocando e não o que estão tocando. Mas a coisa que percebo é o quão importante que é este trabalho e como é importante para os fãs ouvir essas músicas, assim como é para mim. Não se esqueça, eu fui um fã de Guns N' Roses e amo a banda e as músicas. Eu cresci ouvindo Guns N' Roses como todo mundo. Então penso, 'Como iria querer que alguém a tocasse?' é a pergunta que me faço. Se eu visse esse cara novo no palco, iria querer que ele fosse fiel àquelas canções o quanto possível? É meio fácil depois de tirar sua pele analisar isso. Tento manter fiel as músicas o quanto posso e olho para o futuro sobre onde eu realmente possa colocar minha marca na banda."

Sobre "A coisa mais mal compreendida sobre você":
"Eu não leio muito sobre mim mesmo além do que está nas minhas redes sociais. As pessoas parecem saber mais sobre mim do que eu mesmo. Acho que as pessoas confundem sobre eu entrar no Guns N' Roses... Digo, vi alguns comentários que diziam: 'Ei, ele está tentando ser Slash.' Bem, isso não é verdade de modo algum. Acho que ele tem sua própria personalidade e tenho muito respeito pelo que ele fez para a banda, tanto quanto o seu trabalho de guitarrista e seu material. Eu cresci amando a banda e essa coisa toda é meio estranha para mim. Eu obviamente tenho minha própria personalidade e fiz o que qualquer um faria no meu lugar, apenas manter a música viva, fazer tudo o que você puder para manter fiel àquela música o quanto possível. Eu acho que essa é a coisa respeitosa a se fazer. Penso assim"

Fonte: blabbermouth

Saiba quem são os críticos citados em "Get In The Ring"


O uso da música como veículo de resposta aos críticos é expediente tão antigo quanto a própria indústria musical: de Dylan (“Positively 4th Street”) e Beatles (“Don´t Bother me”) a Kings Of Leon (“Notion”) transcorrem quarenta anos de jogos de empurra entre artistas e os perscrutadores de plantão. A ocorrência lírica, na maior parte dos casos, procura se valer de metalinguagem; os textos, de modo geral alfinetam ou repudiam de modo velado- são as “pequenas mentes das vacas sagradas” de “All The Nasties” ou a “carga de ratos” de “Cheapskates”.

Em 1991, o Guns N' Roses, entretanto subverteu a lógica e mandou a sutileza para o espaço. “Get In The Ring” foi um discurso inflamado e notoriamente ofensivo que fariam a raiva destilada por Freddie Mercury em “Death on two legs” parecer um chilique adolescente. Trechos como “E esta vai para todos vocês vagabundos da imprensa / Que querem começar a merda imprimindo mentiras” e “Vocês estupram os pobres garotos / Enquanto eles pagam seu suado / Dinheiro para ler sobre as bandas” são exemplos amenos perto de “Foda-se, Chupe meu maldito pau” ou “Suba no ringue, filho da puta / E eu vou chutar seu traseirinho de puta”. Mesmo contextualizados à época (o Guns era a maior banda do planeta e uma grande parcela da crítica procurava realmente sobrepujar a imagem do grupo com comentários inócuos) ficou claro que Axl tinha cruzado a linha tênue do aceitável- situação que com maestria manobrou em “You Could be Mine” ou em “14 Years”- quando cita nominalmente três críticos de publicações renomadas como a Spin e a Kerrang!. Em meio à milhares de versões divergentes sobre os motivos pelos quais foram apontados, um deles chamou Axl realmente para o pau em uma chamada do Washington Post.

“Ele é uma pessoa patética e eu acho que o seu real talento é fruto do exagero” vociferou Bob Guccione Jr, o homem que aceitou subir no ringue com Axl. "Pratico karatê de contato há dez anos. Quero que ele realmente venha me pegar" complementou o indivíduo ao qual a banda direciona a pergunta: ”Você ficou puto porque sei pai come mais bucetas do que você?”. Guccione é filho do fundador da Penthouse, uma das maiores publicações pornográficas do século passado. Foi lá que ele começou a carreira em 1978 e, após intermináveis brigas com seu pai, sair da organização em 1980 e fundar a Spin em 1985. Segundo consta, a raiva da banda com Guccione veio do fato dele ter publicado nas páginas da revista o contrato que o grupo utilizava para conceder entrevistas com cláusulas do tipo “Não perguntar sobre rendimentos financeiros” e outras questões de praxe.

Outro “homenageado” na faixa foi o jornalista norte americano Andy Secher. Famoso pela extensa carreira em um mesmo veículo, Secher começou a escrever sobre música ainda na faculdade e passou a integrar a Hit Parader, conhecida publicação na área do metal desde os anos 70. Foi em suas páginas que o jornalista chamou a banda de “Guns n' Posers” e, posteriormente, teve seu nome mencionado no registro.

Famoso por biografar Iron, Led, Metallica entre outros, Mick Wall, na realidade mais envolvido na área de relações públicas do que propriamente no jornalismo, foi mexer no vespeiro quando lançou, no final dos anos 80, “Guns N 'Roses: a banda mais perigosa do mundo”, com referências nada elogiosas a Axl como “maníaco depressivo intransigente” (Wall ainda lançaria, já na década de 2000, “W.A.R.: The Unauthorized Biography of William Axl Rose”). Segundo a versão do próprio, o motivo da inserção de seu nome na música foi uma matéria que ele escreveu no início de 1990 para Kerrang! sobre uma tentativa de Axl Rose para prejudicar Vince Neil do Mötley Crüe lançando um boato sobre um suposto envolvimento entre a mulher de Neil e Izzy Stradlin.




Fonte: Whiplash

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Guns N' Roses Bethlehem - Setlist, Fotos e Vídeos


Com ingressos esgotados, o Guns N' Roses se apresentou na noite desta terça-feira (13) no Sands Bethlehem Event Center em Bethlehem, Pensilvânia. O show de abertura ficou por conta dos três garotos da banda de Heavy Metal Unlocking the Truth. Confira abaixo o setlist, fotos e vídeos:

terça-feira, 13 de maio de 2014

Guns N' Roses: conceito e história da capa de Lies


Por RAMON MARTOS GARCIA do site PURE GRAIN AUDIO

Vamos comparar a primeira e meteórica metade da carreira do GUNS N’ ROSES com uma mão apta a ganhar em um jogo de cartas. Nós temos o arrasa-quarteirões que mudou as regras do jogo “Appetite for Destruction” [1987] e os gêmeos “Use Your Illusion” I e II [1991]. E entre os dois, temos o EP de 1988 “Lies“, um tipo de carta bem colocada no meio de uma trinca de ases. Embora possa parecer de menor importância, este EP lançou uma das baladas acústicas, que perdura como um clássico do grupo, “Patience” assim como a altamente controversa “One in a Million“. Ele também inclui as faixas gravadas [falsamente] ao vivo e uma capa com muito a dizer, ainda que não fosse verdade.


“Pessoalmente, eu queria que parecesse ainda mais com o [tablóide estadunidense] Enquirer. Mas chegou perto o suficiente e nós passamos muito tempo em cima daquilo”, diz Alan Niven, o empresário do Guns N´ Roses na época, em referência à capa de “Lies”. Reproduzindo a primeira página de um tablóide de fofocas, a obra dedicava-se às histórias absurdas criadas sobre a banda. Naquele momento, as conseqüências de se tornar o centro das atenções, além da música e da indústria do entretenimento estavam pesando sobre o quinteto. Ironicamente, a capa do EP tornou-se uma representação clara dos efeitos da reputação de uma das bandas essenciais do hard rock estadunidense.

O conceito, inicialmente criado pelo vocalista Axl Rose e pelos outros membros do grupo, fora um aviso sobre o estado dos meios de comunicação modernos e da desvantagem de se tornar uma celebridade. ”Eu via aquilo como uma provocação com os meios de comunicação, que estavam mais interessados ​​na superfície do que na substância. Coisas do tipo: ‘Vamos atrás de saber de Axl namorando com Erin Everly ao invés de ser curioso sobre como sua criatividade funcionou para compor as letras’”, diz Niven. ”Ou vamos falar do vício de Slash” – ele continua –“ ao invés de compreender a personalidade e a maneira de ele tocar. Ou ignorar Izzy, embora ele seja o elemento mais importante e que formou o caráter e a postura da banda original.”

É justamente desse tipo de especulação sensacionalista que a arte gráfica do encarte se originara. Todos os tipos de manchetes de se cair o queixo e mini-matérias as [em referência feita aos títulos das músicas e créditos das gravações] foram colocados juntos em uma espécie de capa de jornal. Entremeio a tudo isso, as histórias prosaicas e polêmicas, intituladas: “Homem processa a esposa – ela pegou minha porra sem permissão“, “Elefante dá luz a um anão” ou “Padre gay no horror da curra em grupo“. “Todos se divertiram inventando essas coisas“, diz Niven. “O mais estranho veio dos responsáveis pelo departamento de direção de arte da [gravadora] Geffen Records”. Ele provavelmente refere-se à Deborah Norcross e Wintner Leslie que projetaram o encarte usando técnicas diversas se manipulação manual.

Diversão à parte, algumas das idéias provaram ser um pouco voláteis demais para serem impressas – por exemplo: “Senhoritas, bem-vindas à idade das trevas” e, especialmente, “Bater na esposa já é praticado faz 10.000 anos.” Eventualmente, ambas foram substituídas com frases menos provocativas. Alan Niven diz que “os textos foram alterados na última hora. Axl tem um pouco de dificuldade em ceder. Mas o lance de bater em mulher era algo que eu sugeri que, dada a inconstância de seu relacionamento com Erin, seria imprudente e poderia explodir na própria cara dele mais tarde. Eu acho que, depois do processo de divórcio deles, ele viu que eu agi com bom senso quanto a isso.”


Outro reflexo das idéias pouco comuns do Guns N’ Roses fora a inclusão do projeto gráfico original – assim como do conteúdo fonográfico de “Live Like a Suicide“. Originalmente lançado em 1986, o EP havia sido usado para outros fins. Alan disse: “A demo usada ​​foi gravada no Pasha Studios e mixada por mim e Hans Peter Huber. Nós adicionamos o som de plateia para criar um registro falso de um show. ‘Live Like a Suicide’ me permitiu fazer um trabalho de divulgação preparatório antes do lançamento de ‘Appetite for Destruction’”.

Até certo ponto, a origem dessas quatro músicas “ao vivo”, apesar de peculiar, não é tão surpreendente. O que é surpreendente é a tenacidade necessária para pegar o projeto do EP original e integrá-lo com novos elementos visuais no novo lançamento. Se a idéia principal por trás da capa de ‘Lies’ era criticas as duvidosas manobras da mídia, então esse tipo de jogada ambígua não contradizia tal postura do grupo? “Não“, garante Niven “Se aquela arte tivesse implicado isso, não teria ido adiante. Foi a nossa forma de alertar para o fato de que era uma gravação ao vivo falsa, usada ​​para levantar fundos com os quais fomos capazes de ir para a Inglaterra, como eu havia feito antes com outras bandas independentes, como o Mötley, Berlin, Great White, etc….”

No final, o que realmente importa é que a capa de “Lies” não é como ela foi produzida [digitalmente ou manualmente], ou o quanta diversão e polêmica se originaram de cada manchete inventada. Seu significado é muito mais profundo e intrinsecamente ligado a uma realidade inegável: não acredite em tudo que você lê ou vê, especialmente quando se trata do mundo do entretenimento. Nem toda mentira acaba sendo exposta e nem toda verdade vê a luz do Sol. É uma mensagem que ainda ressoa, hoje mais do que nunca, em uma sociedade seduzida por atuações questionáveis, como a realidade demonstra, fontes falsas de matérias e avatares artificiais na internet. Como conclui Alan Niven: “Foi uma boa capa, por assim dizer, com muita desinformação … era realmente verdade?”


Fonte: whiplash

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Slash tentou entrar para o KISS em 1982, diz Paul Stanley

Paul Stanley, vocalista e guitarrista do KISS, declarou em um trecho de sua autobiografia,“Face the Music: A Life Exposed”, que o guitarrista Slash tentou entrar para o grupo em 1982.

Stanley foi cogitado para ser o produtor de "Appetite For Destruction", álbum de estreia do Guns N Roses. A parceria não deu certo e tanto Axl Rose quanto Slash já criticaram Stanley em público. Slash chegou a afirmar que o "Starchild" era homossexual.

Confira abaixo o trecho no qual Stanley conta o ocorrido.

"À medida que nos preparávamos para fazer nosso próximo álbum, ‘Creatures of the Night’, nenhum produtor de renome estava batendo à nossa porta. Na verdade, as pessoas nem retornavam nossas ligações.

Finalmente, no verão de 1982, eu marquei um almoço em Los Angeles, onde planejávamos gravar o disco, com um cara chamado Michael James Jackson. Nos encontramos em um restaurante chamado de Melting Pot, na esquina de La Cienega Boulevard com Melrose. Acabou que Michael não tinha experiência de fato com bandas de rock, apesar de ele ter acabado de trabalhar com Jesse Colin Young, o fundador da banda Youngbloods, que tinham tido alguns sucessos nos anos 60. Quando começamos a conversar, Michael disse, ‘O que vocês precisam fazer é escrever algumas canções de sucesso.’

Nossa, por que é que eu não pensei nisso? Brilhante demais.

Mas eu gostei dele apesar de ter sido momentaneamente acuado por essa ‘epifania’. Ele era muito introspectivo e intelectual, e começamos a nos dar bem. Além disso, apesar de eu não ter certeza do que ele tinha a oferecer musicalmente, precisávamos de alguém. Eu sabia que Gene e eu não estávamos em um momento onde podíamos ser produtivos juntos porque nenhum de nós queria abrir mão de nossas respectivas ideias musicais. Precisávamos de um intermediário no estúdio, alguém para dar o voto de Minerva.

Gene e eu não compúnhamos mais juntos. Michael deu a ideia de trazer compositores de fora da banda para trabalhar no disco conosco: eu sugeri Bryan Adams, que tinha feito um sucesso menor intitulado “Let Me Take You Dancing” junto a Jim Vallance. Apesar de sua voz ter sido acelerada e soado como a de uma garota naquela faixa, eu achei que havia algo ali.

Quando o trouxemos de avião a Los Angeles, Bryan acabou compondo com Gene, e eles bolaram “War Machine”.

Com Ace fora, nós espalhamos que estávamos procurando por um novo guitarrista. Entre outros, testamos a Steve Farris do Mr. Mister, Robben Ford, que era um grande blueseiro, e Steve Hunter.

Richie Sambora, que estava em uma banda recém-formada de nome Bon Jovi, veio de avião de Nova Jersey para um teste. Ele ainda não era o músico formado que ele se tornaria, e ele não conseguiu a vaga.

É engraçado, mas anos depois eu o ouvi dizer que ele não queria muito entrar para a banda porque ele queria estar em algo com mais influência de blues. Primeiro, é difícil imaginar que ele tenha ido até a Califórnia para fazer um teste para o Kiss só porque ele gostava de comida de avião. Além disso, o Bon Jovi já fez muita coisa boa, mas eles não estão ao lado do Howlin’ Wolf na minha coleção de discos.

Outra pessoa com a qual conversei foi um jovem muito meigo chamado Saul Hudson. Ele me disse que sua mãe havia sido costureira de David Bowie e que seus amigos o chamavam de “Slash”. Ele era muito eloquente e envolvente, mas ele parecia ser jovem demais. Eu finalmente perguntei a ele qual sua idade. “Faço dezessete mês que vem”, ele disse.

Eu tinha feito trinta anos no começo daquele ano, e Gene tinha duas vezes a idade daquele garoto. “Sabe”, eu disse, “você parece ser um grande sujeito, mas eu acho que você é jovem demais pra isso”. E lhe desejei boa sorte e sempre me lembrei dele porque ele era tão gentil e seguro.

No fim das contas, muita gente tocou solos em ‘Creatures Of The Night’. Foi um modo de testar pessoas e ver quem poderia se encaixar na pegada de cada faixa. Eddie Van Halen veio ao estúdio um dia sabendo que estávamos procurando por um guitarrista. Ele ouviu algumas coisas que tínhamos, incluindo um solo na faixa-título, de Steve Farris. “Wow, por que vocês não contratam ESSE cara?!”, perguntou Eddie. Ele estava boquiaberto. O fato é que tínhamos ensaiado com Farris, mas não tinha dado liga."

Fonte: whiplash cifras

sábado, 10 de maio de 2014

Hell & Heaven em novembro com Kiss e Guns N' Roses, diz organização


O festival Hell and Heaven Metal Fest, que foi cancelado em março, será realizado em novembro, mantendo Kiss e Guns N' Roses como headliners.

Em entrevista à Milenio, Juan Carlos Guerrero, um dos promotores, revelou que apesar de suas atrações principais, Kiss e GN'R, já estarem garantidos não podem assegurar o resto do line-up que estava agendado para o mês de março. Afirmaram que estão conversando "com a maioria das bandas que estavam programadas" na tentativa de reagendar boa parte do line-up. Caso não seja possível, por conflitos de agenda, contrataram músicos equivalentes. O anúncio oficial do line-up está programado para ser divulgado em junho.

O local onde o evento será realizado ainda não foi definido mas, relataram que estão em negociações com dois estados.

A quarta edição do Hell And Heaven Metal Fest 2014 aconteceria nos dias 15 e 16 de março na cidade de Texcoco, México, mas foi cancelado pelo governo mexicano por não ter todas as medidas de segurança necessárias.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

"Real To Reel With Slash" - assista ao oitavo episódio


Assista ao oitavo episódio da série "Real To Reel With Slash".

Confira os episódios anteriores:
Episódio
Episódio
Episódio
Episódio
Episódio
Episódio
Episódio


SLASH - Real to Reel, Part 8

domingo, 4 de maio de 2014

A solução insana de Axl Rose para exterminar mariposas


Durante uma pausa do Guns N' Roses na longa turnê do "Use Your Illusion", o vocalista Axl Rose estava em sua casa em Malibu com seus dois assistentes quando uma mariposa entrou em sua casa.

Os assistentes tentaram espantá-la, mas ela se recusava a sair, pousando no lustre da sala de jantar de Rose.

Cheio disso, Rose disse ao seu primeiro assistente, Craig Duswalt — a vida de Rose estava ocupada demais ao ponto de seu assistente precisar ter seu próprio assistente - para que ele "ficasse de olho nela". Rose correu pro andar de cima e retornou com "uma arma longa...um rifle talvez, ou mesmo uma espingarda."

Rose pediu a Duswalt que lhe trouxesse uma cadeira e "se posicionou abaixo dela, deitado de costas." Quando ele disse para Duswalt "fazer a mariposa ir para o canto" para que Rose não atirasse na luz.

Duswalt subiu em uma cadeira e espantou a mariposa. Ele disse que ele provavelmente poderia ter acertado nela com uma mata-moscas, mas Rose apenas riu, dizendo, "isso não vai rolar".

Blam!

Exterminação, do jeito de Axl Rose.

O novo livro de memórias “Welcome To My Jungle” conta com muitas histórias de Duswalt de 1991-1993, quando o Guns N’ Roses era a maior banda no planeta e Axl Rose era o rock star mais adorado do mundo.

Uma das principais responsabilidades de Duswalt era garantir que Rose chegasse aos shows da banda. Isso nunca foi fácil, pois Rose era famoso por se atrasar horas para os próprios shows, e as vezes desistir deles no último minuto se se alguma coisinha o irritasse.

Logo antes de um show em Buenos Aires para 80 mil pessoas, Rose estava atrasado - e a banda estava no estádio - quando ele pediu a Dustwalt que pedisse serviço de quarto para ele.
Especificamente, ele pediu por chili e queijo.

Duswalt surtou quietamente. Rose precisava partir em questão de minutos, e chili e queijo não era um item do menu do serviço de quarto. Duswalt estava ciente de que se Rose não recebesse seu pedido exato, ele poderia desistir do show.

Duswalt ligou para o serviço de quarto e, apesar da barreira da língua, passou vários minutos tentando descrever o que era "chili e queijo" ao cara no telefone. O pedido levou mais de uma hora para chegar, com o road manager batendo freneticamente no ombro de Duswalt se perguntando aonde estaria Rose.

Finalmente, a refeição chegou. O garçom trouxe para dentro, com muita cerimônia retirou a cobertura, e apresentou a Duswalt"um bloco de queijo cheddar cercado de seis pimentas vermelhas."
Aterrorizado pelos desdobramentos, Duswalt pegou os pratos e os copos - incluindo o pedido errado - e os jogou contra a parede, "esmagando tudo em mil pedaços."

Rose saiu correndo de seu quarto e perguntou, "o que diabos foi isso?" Duswalt explicou que o garçom errou no pedido e disse que ele ficou tão enfurecido pelo erro que ele "jogou os pratos nele por repugnância."

O cantor, distraído do erro por uma explicação com que ele podia se identificar, esqueceu do jantar e partiu para o show.

Guns N’ Roses era uma das maiores bandas de todos os tempos, e Rose rapidamente se acostumou com o dinheiro e privilégios que vinham juntos com isso.

Enquanto estavam na França para um show, Rose comprou para sua então namorada, a supermodel Stephanie Seymour, que estava em Nova York, um elefante de pelúcia como presente de aniversário. Rose mandou um membro da equipe agendar um voo para o elefante de pelúcia em um Concorde - num custo estimado de $10,000.

O poder de Rose era tal que ele nem precisava falar para conseguir o que queria.

Por um tempo, ele ficou empolgado com fotografias, carregando uma câmera para todos os lados. Seguindo um show, sua limusine parou na área do backstage - milhares de fãs clamando por uma olhadinha lá dentro - quando Rose viu uma fã especialmente atraente e a convidou para seu hotel.

A garota pulou dentro da limusine, "depois de um momento de silêncio constrangedor", Rose começou, silenciosamente, a fotografar a garota.

Ela sorriu para a câmera, a princípio inocentemente, então progressivamente de maneira sexy e retirou toda a sua roupa até ficar nua. Rose não disse uma só palavra. Ele apenas ficava clicando o obturador, apesar do fato das câmeras naquela época só suportarem 36 fotos no máximo. Duswalt estima que Rose clicou o obturador umas 300 vezes.

Nudez pública era um tema comum com o Guns N’ Roses.

Enquanto estavam na estrada, membros da equipe eram instruídos a manterem seus walkie-talkies ligados 24h, caso algum membro da banda precisasse de algo.

Em uma noite na Venezuela, Duswalt estava com sua namorada - eles estavam tendo problemas devido ao medo dela quanto ao seu estilo de vida maluco do rock and roll na estrada - quando o fez um barulho às 2 da manhã.

“Eu pensei que provavelmente fosse Duff querendo que alguém lhe arrumasse uma bebida pois a Vodca teria acabado," ele escreve. Mas ao contrário, e para o desânimo dele e de sua namorada, eles ouviram uma voz de um homem falando, "Cavalheiros, as moças estão aqui. Que os jogos comecem."

Ele pulou para desligar o walkie-talkie, mas sua agora muito irritada namorada mandou que deixasse ligado.

O próximo som que ouviram foi de risadas, vindas do corredor, no que parecia uma correria. Duswalt abriu a porta e viu "cerca de 50 mulheres nuas do lado de fora da minha porta, andando pelo corredor." No dia seguinte ele soube que "o promotor achou que seria muito legal e impressionante esvaziar um puteiro e trazer todas as meninas ao hotel em um ônibus...nuas."

Nudez parecia ser um tema do estilo de vida do Guns N’ Roses.

Em Buenos Aires, Rose ofereceu algumas centenas de dólares a qualquer membro da equipe "que corresse pelado pelas ruas em frente ao nosso hotel" - onde centenas de fãs estavam acampados, esperando por uma olhadela em seus ídolos - e então "apetasse a mão de um policial Argentino."

O fotógrafo da turnê Gene Kirkland negociou uma taxa de $1,000, então aceitou a oferta.

Após retornar ao seu quarto para se preparar, Kirkland apareceu no saguão vestindo nada além de "uma toalha de banho branca e uma gravata." Rose lhe deu o dinheiro, então apontou a um policial parado do outro lado da rua - "o com mais cara de mau," escreve Duswalt - como aquele que Kirkland deveria abordar.

Com a banda, equipe e centenas de fãs assistindo, Kirkland "arrancou sua toalha e correu nú pelo estacionamento do hotel até chegar ao policial pré-selecionado. Ele o abordou, sorrindo o tempo inteiro, estendeu sua mão e esperou pelo cumprimento...por incrível que parece, o policial estendeu sua mão e cumprimentou Gene."

Segundos depois, porém, dois policiais agarraram os braços de Kirkland, o prensaram contra uma parede e começaram a revistá-lo - o que foi estranho, já que ele estava pelado. Alguns segundos depois, os policiais não conseguiram conter suas risadas. Foi tudo armado, e Rose estava por trás disso - alguém da equipa lhes pagou para que os policiais participassem da brincadeira.

O Guns N’ Roses implodiu em 1993, assim como o emprego de Duswalt. Ele entrou no ramo da publicidade e agora é um palestrante motivacional. Ele relembra com carinho seus dias com a banda e até tem esperanças de um dia vê-los juntos novamente para caridade.

“Meu sonho é ter a formação original do Guns N’ Roses colocando suas diferenças de lado e se reunindo, mesmo que apenas por um dia, e tocar um set", ele escreve. "Eu acredito, de coração, que eles voltarão um dia. Eu só teria que pedir de forma educada.”

Traduzido por Perfect Crime
Fonte: nypost.com

Bumblefoot: "Sei que não é fácil ser fã do Guns N' Roses"


O guitarrista do Guns N' Roses, Ron "Bumblefoot" Thal, concedeu uma entrevista via Skype ao site EP365, onde respondeu perguntas feitas por fãs e falou sobre o seu próximo disco solo e seu status no Guns N' Roses. Confira algumas partes do papo:

EP365 - Sobre como vai soar seu novo disco:
"Eu ainda não tenho certeza, tudo ainda está na minha cabeça e soa meio pop e melódico, meio bonito. Mas até você gravar e ver o que os músicos trazem pras músicas é difícil de dizer, pois você pode levar a música pra qualquer direção, veremos quais sentimentos são representados quando tudo estiver gravado e é aí que vamos saber qual é o estilo, como se você tivesse o corpo e vai vendo como vesti-lo."

EP365 - Músicas do GNR que gostaria de tocar ao vivo mas, por algum motivo, ainda não tocou:
"Que ainda não tocamos? Hum... tem muitas músicas que os fãs pedem como "Coma", músicas não lançadas, "Riad" e tocar coisas do Chinese com mais frequência... eu faria qualquer coisa que as pessoas queiram ouvir. "Perfect Crime" é uma que gostaria de tocar, é uma música energética, nós a ensaiamos e acho que o público teria gostado."

EP365 - Você está no GNR desde 2006, qual ano foi o seu favorito?
"Hum...ainda estou esperando pelo meu ano favorito. (Risos) Desculpe! Essa é difícil, cada ano teve algo de especial, eu acho que ter tocado no Japão em 2007 pela primeira vez foi muito legal, e Austrália...México...2012, quando fizemos a primeira residência em Vegas foi legal, e também tocamos na Índia. Sempre tem um momento especial em cada turnê, fomos pra Moscou pela primeira vez com a banda, eu já tinha ido em 2004 e 2005. Eu podia passar por cada show e falar "Isso foi legal, fizemos isso, e isso foi divertido..." tem muita coisa."

EP365 - GNR está perto de fazer 30 anos e você está na banda há 8...
"Nós começamos a conversar há 10 anos atrás, em Julho de 2004 começamos a fazer planos mas isso só foi finalizado em Maio de 2006, então meu aniversário de 8 anos será, basicamente, no próximo show - 12 de Maio foi meu primeiro show em 2006 e em 13 de Maio agora tocaremos em Bethlehem, Pensilvânia."

EP365 - Haverá alguma participação especial em seu próximo álbum?
"Eu não sei, agora não tenho nada planejado, mas talvez, veremos como tudo vai ficar depois de gravado mas no momento não há nada planejado, mas eu não ligo de ter participações."

EP365 - Você se sente amado/apoiado dentro do Guns N' Roses?
"Se eu me sinto apoiado? Como tudo na vida, sim e não. Sim pelas pessoas que me apoiam e não pelas pessoas que falam mal de mim, mas isso é a vida, é normal. Uma vez que você aparece no radar elas vão se posicionar, mas isso não é algo que me define ou mude quem eu sou, eu sou apenas eu fazendo o que eu faço e se as pessoas gostam, ótimo, se não gostam, desculpe."

EP365 - Você sempre lidou com isso bem educadamente...
"Nem sempre!" (risos)

EP365 - Quando seu próximo disco vai sair?
"Meu próximo disco solo, espero que até o final do ano, preciso terminar de escrever tudo, gravar, bolar um plano de lançamento pra que as pessoas possam ter o disco da melhor forma possível e trazê-las pra dentro do processo e não ser algo como "Hey, aqui está o disco, aproveite!", quero fazer algo mais interativo que inclua os ouvintes, então preciso pensar nisso também e então cair na estrada e tocar pra quantas pessoas e em quantos lugares possíveis por quanto tempo eu puder. Então acho que até o final do ano isso já deve estar pronto, espero que antes mas é preciso ser realista, a vida tende a ficar no caminho, mas acho que pro final do ano."

EP365 - Eu ouvi que você era professor em uma Universidade junto com Satriani, você ainda dá aulas?
"Não sei sobre o Satriani, mas sim, eu era professor, Profº Bumblefoot na faculdade Suny Purchase, no estado de Nova York... isso começou há uns 12 anos atrás, dando aulas de produção musical e coisas relacionadas à música..."

EP365 - Do jeito que você falou parecia algo de Hogwarts...
(Risos)"É, por aí...mas eu era um professor meio ridículo, eu chegava vestido assim e um dia meu chefe disse "Sabe, as roupas que você está vestindo...as pessoas não conseguem dizer que você está dando aulas, você parece um dos alunos, poderia se vestir um pouco melhor?", então pelo resto do ano eu fui vestindo um Smoking, só que as vezes sem a calça. Eu ia com o smoking mas só com boxers."

EP365 - Você tem planos pra depois da residência em Vegas?
"Sim, tem uma turnê chamada "The Guitar Gods", nos EUA, vai rolar de metade de Junho a metade de Julho, começaremos no nordeste, iremos pro noroeste e de lá vamos descendo e devemos terminar na Flórida. Temos 30 datas, mas ainda não fechamos todas, apenas 14, espero confirmar logo as outras. Seremos eu, Uli Jon Roth, Gary Howey e Yngwie. Tenho uma lista com os shows em Bumblefoot.com. Ficaremos espremidos em um tour bus e espero escrever umas músicas lá."

EP365 - Você é um cara muito original em cada álbum que faz, mas o próximo disco vai ser parecido com qual?
"Eu não sei...eu nunca sei até que esteja gravado. É como se você tivesse um quadro em branco e você começa a jogar tinta nele, depois você se afasta e vê com o que se parece. Mas deve ser parecido com meus últimos trabalhos, mas uma coisa que percebi é que está mais melódico, isso é algo que percebi do que está surgindo, o que eu não quero reprimir o que está surgindo, o que for é o que será, parece ser mais melódico mas pode acabar ficando mais pesado, isso só vou saber quando gravá-lo. Mas até agora, em termos de músicas... está bonitinho."

EP365 - Quem fez você ser quem você é hoje?
"Bem, isso começou com meu pai e minha mãe! Mas pro bem e pro mau, é tudo mundo. É uma questão do seu ambiente, como você reage a ele, como aprende com tudo, acho que todo mundo me fez ser quem eu sou hoje. Eu sou o produto de todos vocês, vocês deveriam ter vergonha."

EP365 - Essa pergunta eu sabia que iria aparecer, pois eles estão sentados esperando desde o Chinese Democracy em 2008... é verdade que o Guns N' Roses vai lançar um novo álbum?
"Se é verdade? Hum... deixe eu olhar minha bola de cristal...hum...eu não tenho a resposta. Você está perguntando ao cara errado. Eu não sou responsável por nada disso, se você me perguntar se meu disco vai sair, minha resposta é 'definitivamente sim, a não ser que eu caia morto, ele vai sair', embora ele não esteja sequer escrito ainda, eu posso te garantir que vou lançar vários álbuns e estou fazendo um agora mesmo, quanto ao Guns N' Roses...você está perguntando ao cara errado."

EP365 - A próxima pergunta meio que toca nesse assunto... W. Axl Rose está perguntando...
"Esse é o cara pra quem você deve perguntar!" (risos)

EP365 - É um Axl Rose diferente... Você frequentemente diz que não é seu papel comentar sobre os negócios do GNR e seus planos. Você consegue ver como é frustrante pros fãs do GNR quando o guitarrista principal da banda diz essas coisas? E ele quer saber quais músicas do Use Your Illusion que você gostaria de tocar ao vivo com o GNR que ainda não tocaram.
"Na verdade eu gostaria de tocar todas as músicas, adoraria se tocássemos cada música possível conforme o público fosse pedindo. Eu mencionei 'Coma' antes, finalmente tocamos 'Estranged' nos últimos anos, o que é legal pois é uma das favoritas dos fãs, o que mais...deixa eu fazer uma lista de músicas agora que eu gostaria de tocar mas que não tocaremos. Sobre ser frustrante quando o guitarrista diz que não pode falar sobre coisas da banda...você sabe como é frustrante ser o guitarrista da banda e não poder ter nada pra falar para os fãs? É frustrante pra caralho. Sendo honesto com você. Mas a coisa é assim e você sabe como é, como fã você sabe como as coisas são, todos sabemos, não é uma surpresa. Nós fizemos Civil War...14 Years...começamos a tocar Don't Cry...bem, a próxima que eu gostaria de tocar e que não tocaremos é 'Yesterdays'. Eu já devo ter dedilhado ela em minhas clínicas, mas essa é uma que eu gostaria de tocar."

EP365 - O que a Argentina significa pra você e quando poderemos tê-lo em nosso país?
"É, eu estive aí há pouco tempo. Argentina é um dos lugares que tem os fãs mais intensos, absolutamente, definitivamente a América do Sul em geral, as pessoas mostram muito seu entusiasmo. Eu tenho uma música que estará no meu próximo álbum que se chama 'Argentina', ela é meio inspirada num tango."

EP365 - Você se sente confortável no Guns N' Roses?
"Hum, geralmente. As vezes não. Mas geralmente sim. Mas as pessoas querem saber quando eu não me sinto confortável...essa é uma pergunta pesada..."

EP365 - Sim, do tipo 'ferrado se responder, ferrado se não responder.'
"Isso é uma questão de como eu me sinto quanto a mim mesmo. As vezes em que você não se sente a vontade fazendo o que faz, isso é normal, todos passam por isso, músicos ou não. Mas as vezes em que estou no palco e penso 'Eu não deveria estar fazendo isso, esse não sou eu, eu sou uma fraude, um falso, estou mentindo para o público, estou mentindo para mim' mas aí você diz 'cala a boca, voz interior, pare de falar comigo, deixe eu fazer meu show aqui'..."

EP365 - Mas isso é uma coisa que todo artista passa em algum momento de sua carreira, em que você tem dúvidas quando está no olhar do público, na frente de todas aquelas pessoas todo mundo teria esse sentimento.
"Se você pensar, você está ferrado. Sim. Não pense. Você tem que lembrar do motivo de estar lá. Eu adoro fazer música, adoro tocar guitarra e as outras coisas que ficam no caminho você não pode deixar que fiquem entre você e aquela guitarra com que está trabalhando, tem que manter o foco no porquê você fez o que fez a vida toda e porquê ainda curte isso."

EP365 - Por quanto tempo você se vê fazendo isso? Você se vê como o Keith Richards faz...
"Tem vezes em que penso 'Sabe, tem tanta coisa que dá errado em turnês, tantos incêndios pra apagar, tantos problemas, talvez eu deveria apenas lançar músicas, ou só fazer coisas internas, produzir outras pessoas', isso é mais com as turnês, não tem nada a ver com o desgaste físico de viajar e fazer tudo sem dormir...mas sempre dá algo errado, são tantas pecinhas de uma máquina que fazem uma turnê acontecer que são tantas coisinhas que podem dar errado, então é duro... turnê, fazer isso acontecer pode ser muito desafiador e as vezes você se pergunta se vale a pena e se tem outras coisas que pode fazer. Eu não preciso fazer turnês, posso fazer um milhão de outras coisas, posso dar aulas, posso fazer música pra filmes, o que eu adoro fazer - na verdade há um milhão de outras coisas que eu adoro fazer - e eu tento dividir meu tempo pra fazer o máximo dessas coisas o possível."

**Ao final da entrevista, ao perguntar se gostaria de dizer algo para seus fãs, Ron pede pra que o entrevistador faça alguma pergunta mais difícil, especialmente para os fãs do GN'R. O entrevistador acabou desviando desse alvo, mas Ron entrou num discurso muito interessante:

"Os fãs do GN'R que estão comigo nos altos e baixos há 8 anos e eu sei como muitos deles ficam frustrados, pois eu sei o que eles querem: eles querem músicas novas, mais interação, querem saber o que está acontecendo, querem ser incluídos - e deveriam ser incluídos - querem mudanças no setlist, alguns querem que eu dê o fora, que um dos predecessores retorne...tem um milhão de coisas que eles querem. E eu sei que não é fácil ser fã do GNR, mas acho que não é fácil ser um grande fã que investe muito emocionalmente de qualquer banda, pois você se importa muito, e você quer muito, e você quer que sejam não apenas o que é o melhor pra você mas o que é o melhor pra própria banda. Você quer ver aquela banda bem-sucedida, quer vê-la se desenvolver, crescer, quer vê-la sendo tudo que poderia ser...e deveria ser."

EP365 - O Guns N' Roses está aí há muito tempo e vocês já tiveram muitas situações controversas, que várias bandas já passaram, como os Stones ou Fleetwood Mac e outras grandes bandas. Não é nada que seja único do GNR, vocês têm uns fãs bem fiéis por aí...
"Os mais fiéis. Deus os abençoe. Vocês são malucos! Meu Deus!"

EP365 - E logo no primeiro ano que o Guns N' Roses foi elegível pro Rock and Roll Hall of Fame ele foi eleito! E até isso teve suas controversas...
"Mas sabe, se você olhar pra isso...eu sei que muitos fãs podem ficar frustrados com como as coisas são agora, mas eles também precisam olhar pra trás e ver que essa é uma forma que a banda seguiu por toda sua vida, todas as mudanças e nada agora tira algo do que a banda alcançou antes, e isso é algo que deve ser apreciado, seja lá o que for. Seja lá qual você ache ter sido o maior momento, nada vai mudar, vai continuar sendo o maior momento, curta a coisa toda. Olhe pra isso como um todo e diga 'Nossa, que grandes viagens essa banda teve'..."

EP365 - E mesmo que acabe amanhã...
"É. Se terminasse amanhã você poderia olhar pra trás e falar 'Uau, essa foi a viagem mais incrível'"




Fonte: perfectcrimegnr

sábado, 3 de maio de 2014

Veja fotos de Axl Rose no Rapidfire


O Rapidfire foi fundado em 1982 na cidade de Los Angeles, Califórnia, e contou com Axl Rose nos vocais, na época ainda como Bill Bailey.

Inicialmente a banda era composta pelo fundador Kevin Lawrence nos vocais e guitarra, Mike Hamernik no baixo e Chuck Gordon na bateria. Axl faria parte do grupo como vocalista em 1983.

Slash diz que virá ao Brasil em janeiro


Por meio de uma mensagem privada no Twitter, o guitarrista Slash confirmou que vem ao Brasil em janeiro, para shows de divulgação de seu terceiro álbum solo - o segundo com Myles Kennedy & The Conspirators.

Na mensagem, cujo print segue ao final da postagem, o músico é questionado se vem ao Brasil no ano de 2014. A resposta foi "janeiro". Trata-se, obviamente, do primeiro mês do ano de 2015.

Caso a turnê se confirme, será a terceira passagem de Slash em carreira solo pelo Brasil. Nas excursões de divulgação dos dois álbuns já lançados por ele, "Slash" (2010) e "Apocalyptic Love" (2012), o músico esteve no Brasil.



Fonte: revista.cifras.com.br

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Rapidfire: Gravações com Axl Rose podem ser lançadas


Antes do Hollywood Rose e do Guns N’ Roses, Axl Rose, ainda conhecido como Bill Bailey, esteve numa banda chamada Rapidfire. Agora, o guitarrista e detentor dos direitos da banda, Kevin Lawrence, pretende lançar as cinco músicas gravadas pelo Rapidfire em 1983. Estas são as primeiras gravações de Axl Rose, com apenas 21 anos de idade.

Em 1983, três caras criaram o Rapidfire e foram fazer alguns shows por Los Angeles. A banda era formada por Kevin Lawrence (guitarra e vocal), Mike Hamernik (baixo) e Chuck Gordon (bateria). Mas Kevin, líder da banda, admitiu que eles precisavam de um cantor, então conheceram o recém chegado a Los Angeles, Bill Bailey.

Após passar no teste para vocalista, Bill recebeu um punhado de canções para aprender e decorar somente uma semana antes deles participarem da Batalha das Bandas no dia 20 de março de 1983 no Gazzarri’s, em L.A. No final, o Rapidfire arrebentou e ganhou a batalha.

De volta aos ensaios, que aconteciam na casa da mãe do baterista Chuck, Kevin Lawrence financiou as primeiras gravações do Rapidfire no Telstar Studios, em 25 de maio de 1983. Sobre as gravações no estúdio, Kevin diz: “A banda fez um ótimo trabalho, embora fôssemos um bando de crianças”.

31 anos depois destas gravações, Kevin quer lançá-las oficialmente. No entanto, ele pede a ajuda dos fãs pela internet para financiar este projeto. Kevin pretende juntar 20 mil dólares em dois meses e já conseguiu quase 600 dólares em dois dias. Para cada quantia doada, o doador recebe um brinde como foto impressa, pôster, flyer e outros.

O CD do Rapidfire terá cinco músicas nunca escutadas antes, exceto “Ready To Rumble” que tem um pequeno trecho no Youtube. As outras faixas são: “All Night Long”, “Prowler”, “On the Run” e “Closure”.

Para ver um pequeno filme sobre o Rapidfire e fazer uma doação, acesse o site kickstarter.com

Rapidfire / “Ready To Rumble” com Axl no vocal (trecho)


Fonte: gunsnrosesbrasil