GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Dezembro 2013 GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Dezembro 2013

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Axl deixa mensagem de fim de ano em seu Twitter


Axl Rose deixou, nesta quinta-feira (26), uma mensagem de fim de ano em seu Twitter. O músico agradeceu aos fãs, equipe, banda, amigos e desejou felicitações de natal e ano novo.

"Espero que todos tenham tido um bom ano! Desejo a todos um Feliz Ano Novo e um melhor no próximo ano! Paz! Axl"

"Muito obrigado a todos os nossos fãs, equipe, banda, amigos, familiares e a todos os nossos apoiadores neste último ano e ao longo dos anos! Boas festas! Feliz Natal!"



terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Guns N' Roses pode fazer cinco shows no Brasil em 2014


De acordo com informações que circulam pela internet, o Guns N' Roses pode fazer 5 shows no Brasil em 2014. A banda deve chegar ao país no mês de abril e ficar entre 10 a 12 dias. Confira abaixo algumas possíveis datas da turnê pela América Latina:

- Dois shows na Argentina; Estadio Único, La Plata 11/04 | Salón Metropolitano, Rosario 12/04;
- Um show no Chile no dia 29 de Março na Movistar Arena;
- Um show no Paraguai no dia 9 de Abril no Jockey Club;
- Um show México no dia 16 de Março no Hell & Heaven Metal Fest; possibilidade para Monterrey e Guadalajara
- Cinco shows no Brasil.

Até o momento apenas o show da banda no México no Hell & Heaven Metal Fest foi confirmado.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Produtor confirma show do Guns N' Roses no Paraguai


O produtor Nico Garzia confirmou, em sua conta no Twitter, que irá levar o show do Guns N' Roses ao Paraguai durante a turnê da banda pela América Do Sul em 2014.

Quando perguntado, por uma seguidora na rede social, sobre as chances de o show ocorrer, respondeu: “Óbvio”.

De acordo com Richard Fortus, a turnê deveria ter ocorrido no final deste ano mas, devido aos compromissos de membros da banda com seus projetos, foi adiada para 2014.

Fonte: whiplash

Bumblefoot lança série de signature cases para guitarra


Bumblefoot lançou uma linha de cases de guitarra pela Eastsport, Inc. O artista, produtor e guitarrista do Guns N' Roses, Ron "Bumblefoot" Thal, trouxe seu melhor à mesa ao pensar nesta série de cases. Utilizando suas décadas de experiências em turnês e como guitarrista, Ron esteve trabalhando para desenvolver não somente um bonito, mas prático e útil case para qualquer guitarrista.

Com doze cases customizados na coleção, Ron disse sobre o Premium Deluxe Electric Roller Case: "Eu passei anos carregando minhas guitarras para os shows, pensei sobre tudo que faria isso ser algo mais fácil e coloquei neste case de guitarra. Acolchoamento extra, bolsos mais fundos, até mesmo rodinhas que podem ser encaixadas na caixa de seu equipamento, prendedores de cabos e um bolso transparente que pode ser usado para divulgar seu flyer, sua banda, seu show, aulas... esse é o case que eu desejei ter por toda minha vida - eu nunca teria chegado em um show com braços doloridos."
"Uma grande motivação para este case foi um acidente de carro que tive dois anos atrás e me deixou com uma lesão permanente no pescoço, danos nos nervos de ambos os braços e problemas com dores. Carregar uma guitarra se tornou um desafio. Eu preciso de algo que possa fazer a vida mais fácil e a vida das outras pessoas também."

Fonte: whiplash 

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Confirmado show do Guns N' Roses no México


O Guns N' Roses foi confirmado como uma das atrações principais do Hell And Heaven Metal Fest no dia 16 de março de 2014, no México.

O festival mexicano, que está em sua quarta edição, terá como headliners Kiss e Guns N' Roses, se apresentando nos 15 e 16 de março, respectivamente. Outras bandas anunciadas foram Rob Zombie, Korn, Twisted Sister, Lamb of God, P.O.D., Misfits, Trivium, Dragonforce, Opeth y Carcass entre outras.

O Hell And Heaven Metal Fest 2014 será realizado em Feria de Texcoco, México, e os ingressos já estão à venda no site superboletos.com.


domingo, 8 de dezembro de 2013

Aumentam rumores de turnê do Guns N' Roses em 2014


Fui divulgado no MyGNR Forum algumas informações sobre os planos do Guns N' Roses para 2014. De acordo com a publicação a banda deve começar, em meados de março, uma turnê pelo México e seguir para a América Do Sul. Ainda segundo o texto duas ou três músicas novas devem entrar no setlist e uma segunda residência em Las Vegas. Confira abaixo:

"Contrariando os sentimentos de frustração que pairam o MyGNR, a equipe diz a você, exclusivamente, que as coisas irão esquentar para o Guns N' Roses em 2014.

Como notícias prévias mencionaram, a banda irá mais uma vez entrar em um período de tour. Iniciando pelo México no meio de março e depois seguirá pela América do Sul inteira. 

Se você está em um lugar qualquer pelo mundo, melhor não, porque o Guns N' Roses vai tocar em parte dos EUA. Isso incluirá um antecipado retorno para o local da residência realizada no ano passado - Vegas. 

Além disso, não se precipitem em dizer que essa é mais uma turnê inútil. Revelamos, ainda, que a banda planeja apresentar 2 ou 3 músicas músicas durante essa tour do ano que vem.

E ainda tem mais...

Muito mais. Enquanto não podemos divulgar mais informações, MyGNR pede que vocês se aproximem com otimismo."

Em entrevista ao Noise11 Richard Fortus também comentou sobre uma turnê do Guns N' Roses para 2014.

Fonte: MyGNR Forum
Tradução: Guns N' Roses Brasil Forum

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Morre pai de Bumblefoot


O guitarrista do Guns N' Roses, Ron 'Bumblefoot' Thal, comunicou nesta terça-feira (03) o falecimento de seu pai. Em uma série de tweets o músico relatou que seu pai sofria de Alzheimer e agradeceu ao apoio dos fãs:





O Guns N' Roses também enviou suas condolências ao Bumblefoot e familiares:


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Bumblefoot não quis "trair" Axl tocando com Slash


O guitarrista do Guns N' Roses, Ron "Bumblefoot" Thal, falou com a Vorterix da Argentina antes de seu show no show no dia 24 de novembro no The Roxy Palermo em Buenos Aires. Alguns trechos da conversa seguem abaixo (transcrito por BLABBERMOUTH.NET):

Sobre sua carreira solo:
Bumblefoot: "Antes do Guns, eu estava em turnê o tempo todo, fazendo minhas coisas, lançando meus próprios álbuns, fazendo todos os tipos de coisas. E, depois, uma vez que o Guns ocupou com toda uma turnê, isso lentamente ... Havia muitos conflitos com a programação e tudo o mais que fiz na minha vida lentamente ficou de lado, até que chegou um ponto que eu não estava lançando mais nada. E no segundo semestre deste ano, o Guns entrou em hibernação — como às vezes acontece — e foi tipo, "Quer saber" tenho que tomar as rédeas. Tenho que começar a fazer minhas coisas de novo e ser eu novamente. E comecei a fazer várias coisas, indo por todo o mundo, tocando com músicos locais e fazendo shows. E isso é o que me traz aqui esta noite."

Sobre os planos futuros do Guns N' Roses:

Bumblefoot: "O futuro é completamente imprevisível, todos vocês sabem disso. Esta apenas tentando dizer, 'Tudo bem, que direção o tornado vai seguir?' Tudo pode ser. Tenho certeza que em 2014... Na verdade, eu não deveria dizer 'certeza', porque é imprevisível. Mas posso assumir, mas quando assumimos, devemos fazer um ... Provavelmente haverá alguns shows no futuro, espero que haja algumas gravações concluídas no futuro. Gostaria de ver a banda compondo como uma banda desde o início e lançar alguma música. Tenho dito há anos que não devemos encarar um álbum inteiro, porque é uma mordida muito grande para levar. É demais — demora muito tempo, muito de um investimento de vida que não existe. Não neste dia e idade e não onde as coisas são com a banda. Seria melhor para nós fazer uma canção de cada vez e lançá-la. O que eu sempre quis fazer foi, antes de cada vez que saímos para fazer uma etapa da turnê, nos reuníssimos por uma semana no estúdio, escrevêssemos uma música, a terminássemos custe o que custar, depois lançamos e a tocamos na turnê e rádio.  Cada vez que saímos para tocar, teríamos uma música nova que fizemos. E se fizéssemos isso, seria um volume de material de um álbum lançado por essa banda agora. Sim, se eu fosse o mestre do universo, é o que teria acontecido. Quer dizer, você está lidando com outras sete pessoas e todos tem que estar a bordo e tem que concordar com uma estratégia. E tem que coincidir com quaisquer acordos de negócios existentes, ou preexistente que estão lá também. Quero dizer, é complicado."

Sobre o líder do Guns N' Roses, Axl Rose:
Bumblefoot: "Acho que tenho sido um pé no saco muito maior para Axl do que ele tem sido para mim. Com certeza."

"Eu sou muito sincero e honesto, quando eu provavelmente não deveria ser. Tipo, como quando você não deve dizer nada e ficar em silêncio, em vez de ficar em silêncio, eu vou (dizer alguma coisa) geralmente no rádio. E ele vai receber uma centena de e-mails sobre o assunto. Ou, provavelmente, apenas ouvir de todos os outros.

"Eu acho que de certa forma, de uma forma estranha, provavelmente ele gosta que eu seja um pé no saco. Porque mesmo no início, quando tivemos uma grande discussão da gestão, antes de entrar para a banda, eu me lembro de andar com ele e ele gostava do fato de que eu fui atrás de sua equipe de advogados que o gerente mandou atrás de mim para tentar me derrubar, e fui agressivo com eles. E lembro que ele me disse, quando saímos uma vez, e ele tipo 'Suas bolas, quando tocam, fazem", Clang''.

"Mas ele sabe o que ele vai ter comigo. Não vou dar-lhe palavras vãs e ser desonesto. Se ele me perguntar algo, vou dizer o que penso. E ele é um ser humano. Ele é como todos os outros."

"Você só quer a verdade. Ninguém quer jogos ou qualquer coisa assim. Você prefere ter más notícias honestas do que ser enganado com coisas que não são verdadeiras. E isso é uma coisa sobre ele é que ... Ele é um ser humano. Eu o conheço como pessoa. Eu sei quais são meus defeitos, eu sei quais são seus defeitos, eu sei quais são todos os defeitos. E somos todos humanos."

Sobre o recente vazamento da música "Going Down", supostamente atribuída ao Guns N' Roses com Tommy Stinson nos vocais e Axl Rose fazendo backing vocal:

Bumblefoot: "Sim, estou ciente de que algumas coisas vazaram."

"Quer saber? Aqui está o problema. E é por isso que eu digo que eu também sou um maior pé no saco de Axl, porque quando se trata de algo assim, quando há vazamentos, que é uma atividade ilegal que poderia, dependendo, levar a questões jurídicas, em que qualquer coisa que eu diga pode ser usado contra [nós]. Então, quando há vazamentos, é muito importante não dizer nada,  pois poderia afetar questões legais, e é melhor não falar sobre isso. Mas falo...

"Aqui está a coisa: antes de 'Chinese Democracy' ser lançado, que, como sabemos, fez exactamente cinco anos ontem, comecei a trabalhar em um álbum acústico chamado de 'Barefoot', que eu acabei liberando no mês seguinte, após 'Chinese' ser lançado. Então, eu tenho um pequeno EP acústico chamado 'Barefoot'. Havia uma canção adicional que eu gravei nesse álbum, junto com todo o resto, onde praticamente no álbum, teve apenas duas faixas de guitarra, talvez um pouco baixo no fundo e vocais; foi muito bruto — só violão, guitarra acústica, vocal. Eu fiz tudo sozinho. Enquanto eu estava com ele, eu meio que gravei uma música extra. Pelo que eu entendo... sim... Então, de qualquer forma, se você ouvir o álbum 'Barefoot', você pode notar uma semelhança no tom, no jeito de tocar e tudo nas outras canções acústicas que possam ter escapado ... Sim. Mas não sei nada de nada."

Sobre se ele se dá bem com antigos membros do Guns N' Roses:

Bumblefoot: "Guns N' Roses, é como uma vida que tem capítulos diferentes e há pessoas diferentes nesses capítulos, e eu estou em um desses capítulos e esses [outros] caras estavam em um capítulo e somos todos parte do grande livro, somos todos parte do grande livro do Guns. E é legal. Estou em contato com um monte de caras e outras coisas, e todo mundo é legal umas com as outras. Realmente, os que eu vou chegar e enviar um e-mail para dizer 'oi' são o Duff McKagan e o Gilby Clarke.

"Acho que as pessoas querem que sejamos esses super-heróis e vilões, o bem contra o mal, esses personagens de luta livre de homens bons e maus, mas somos todos músicos. E isso não é a coisa que nos separa, é a que temos em comum. É, como, tocamos na mesma banda. E às vezes ao mesmo tempo. Às vezes Izzy [Stradlin] se junta a nós no palco, às vezes Duff. É muito bom. Então depois, todos nós saímos para o jantar. E de vez em quando, as nossas esposas estão conversando e outras coisas. E é tudo de bom. Todo mundo é legal."

Sobre se ele mantém contato com Slash:

Bumblefoot: "Essa eu tenho que evitar. Simplesmente porque há uma relação bem quente entre Axl e Slash. Não quero que Axl se senta traído, se eu ... Eu acho que o incomodaria se ... [o Slash e eu] tivéssemos vários amigos em comum, no entanto.

"(Slash e eu) praticamente ficamos em uma situação em que podíamos ter subido no mesmo palco juntos em Las Vegas, em julho. Eu estava tocando com o baixista do PANTERA, Rex Brown e Brian Tichy na bateria, que havia tocado com Slash, e estávamos fazendo várias covers do KISS em Las Vegas, apenas nos divertindo. E foi na mesma noite que Slash faria seu último show e ele estava em Las Vegas. Sim, estávamos tocando não muito longe um do outro, e havia rumores de que ele viria e tocaria no palco. E eu fiquei, tipo, 'Hmmm ....'

"Porque, para mim, eu não tenho problemas com ninguém...Embora eu tenha alguns problemas com o Sr. Adler. Porque ele tende a dizer algumas coisas desagradáveis ​​sobre a banda atual, e então eu digo algumas coisas de volta, e então ele se desculpa, e nós ficamos bem, e eu converso com ele, e então ele diz de novo, ele diz algo ruim novamente. Steven, pare com isso! Mas mesmo assim, se eu o visse, eu lhe daria um grande abraço. Eu diria a ele o quanto ele é um pé no saco, em seguida, eu lhe daria um abraço.

"Mas houve bastante conversa naquela noite, várias mensagens de texto indo e voltando entre o Slash e os caras com quem eu estava tocando as covers do Kiss, sobre ele vir e se juntar no palco para uma canção. E eu fiquei, tipo, eu não quero ser rude e cair fora, porque isso seria apenas, como, um insulto. Se ele ficar no palco, tipo, 'Tudo bem, você toca', e eu estou saindo. Mas, então, se eu tocasse com Slash, seria, tipo, não ficaria legal pro Axl, porque eu sei como ele se sentiria na verdade...Então, eu estava, tipo, 'Ahhh...o que eu faço'. Então, havia um monte de mensagens de texto e essas coisas rolando, apenas uma sensação do que os caras decidiriam. Descobriu-se que que o Slash tinha que pegar um vôo cedo para a Europa na manhã seguinte, então ele não veio no último minuto, acabou não rolando.

"Quero dizer, eu não estava preocupado com isso, porque eu disse o seguinte, 'Sabe de uma coisa?! Tudo o que tiver que acontecer vai acontecer'. Você apenas consegue um tipo de confiança sobre a situação. E honestamente, não importa, o mundo não vai desmoronar. É um grupo de músicos tocando e se divertindo. Em última análise, é só isso."

Surge documento que desmonta versão de Duff e Slash sobre Axl


Confira abaixo o texto publicado por Mister Saint Laurent onde divulgou um scan que faria parte do contrato assinado entre Axl RoseDuff McKagan e Slash que firmava que, mediante a dissolução do grupo, Axl teria o direito de utilizar o nome e a marca Guns N' Roses.

[...]
Nas páginas 221 e 222 de sua autobiografia, “It’s So Easy and Other Lies”, Duff McKagan afirmou que ele assinara o acordo de parceria/sociedade da marca Guns N' Roses no dia 5 de julho de 1993, sob pressão, na coxia de um show do GN’R em Barcelona, Espanha.

“Com o público lá fora já começando a ficar inquieto, o cara então deu a entender que Axl não subiria ao palco naquela noite a menos que assinássemos os documentos.”

“Eu imaginei pessoas se ferindo se um tumulto tivesse início – pelo menos era esse o meu medo. E eu estava tão exausto – parecia que eu vinha arrastando uma casa nas costas pelos últimos dois anos. Além disso, na época eu nunca achei que o GN’R pudesse existir sem nós. A ideia parecia ridícula, e sendo assim, talvez os documentos não precisassem ser montados.”

“Foda-se. Eu assinei. Assim como Slash.”

Apesar de Duff afirmar que ele e Slash assinaram o acordo em 1993, Slash disse à [revista estadunidense] Entertainment Weekly em 2002 que ele e Duff haviam assinado o tal contrato que garantia o uso do nome GN’R a AXL também sob pressão, também na coxia de um show, mas em 1992.

“Antes de um show, certa noite de 1992, Axl nos entrega um contrato que diz que se a banda se romper, ele fica com o nome.”

“Infelizmente, nós assinamos. Eu achava que, de outro modo, ele não subiria ao palco.”

Enquanto Duff afirma que o ocorrido se deu em 1993 e Slash diz que foi em 1992, as versões do baixista e do guitarrista possuem algo em comum:

- Ambos afirmam que assinaram o contrato em um show do Guns N’ Roses;

- Ambos afirmam que o assinaram no mesmo dia;

- Ambos afirmam que eles o fizeram porque temiam que Axl se recusasse a subir no palco naquela noite.

W. Axl Rose tem negado completamente os dois relatos, apontando – corretamente – que caso tais versões fossem autênticas, o acordo não teria valor, devido ao fato de ter sido firmado mediante pressão.

Mas quando foi exatamente que Slash e Duff assinaram o acordo de sociedade? Vejamos o documento abaixo [atente para as datas no fim do scan]: Click nas imagens para ampliar





O Guns N’ Roses terminou um trecho da turnê pelos EUA no dia 6 de outubro de 1992 em Seattle, Washington. A banda não faria outro show até o dia 25 de novembro em Caracas, Venezuela [quase dois meses depois].

Slash assinou o acordo em 15 de outubro de 1992. Duff McKagan o assinou no dia 21 de outubro do mesmo ano.

O Guns N’ Roses não estava sequer em turnê quando Duff e/ou Slash assinaram o contrato. É literalmente 100% impossível que Slash E Duff estejam dizendo a verdade. Não se trata apenas de uma questão de esquecer as datas, trata-se de perpetrar, de modo diabólico, uma fraude no público com o único intento de demonizar a imagem de W. Axl Rose.

Por mais de dez anos, os fãs tem se perguntado quem estava falando a verdade e agora temos a prova definitiva que a atribui a Axl.

O Guns N’ Roses não estava fazendo shows quando Slash e Duff McKagan assinaram o contrato que estabelecia o direito do nome GN’R.

As versões de ambos não apenas são impossíveis, mas também fica estabelecido que suas histórias não são nada além de um ardil manipulador tramado especificamente para fazer com que os fãs acreditassem que Axl estava disposto a colocar a segurança de todos em risco como uma arma na negociação e que Slash e Duff haviam heroicamente colocado a segurança dos fãs à frente de seus próprios interesses financeiros.

Se Slash e Duff estavam dispostos a contar uma mentira tão descarada e dessas proporções para colocar o público contra Axl e a favor deles, sobre o que mais teriam mentido? [...]

Retirado de: MSL Forum
Fonte: Whiplash

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Jack Huston confessa que ama Guns N' Roses


Jack Huston, mais conhecido por seu papel na série “Boardwalk Empire”, participou da seção On My Radar do The Guardian e revelou que ama Guns N' Roses. O ator, de 30 anos, é sobrinho dos atores Anjelica e Danny Huston e neto do diretor John Huston. Confira abaixo o trecho da entrevista:

"Adoro o simples e velho rock n' roll. Eu sou muito antiquado. Tenho um grande amigo em Nova York, que frequenta alguns bares e clubes e ele sempre me apresenta algumas bandas novas. Mas meus favoritos são os antigos. Fui ver o The Who recentemente e foi fantástico. Mas a banda que realmente amo tem que ser a primeira que gostei, Guns N' Roses. Sua primeira banda é como seu primeiro amor. Inesquecível. Fui vê-los dia desses e passei momentos brilhantes. Obviamente que é só Axl quem ficou da formação original, mas as músicas ainda soam muito bem. Foi um momento muito especial na minha vida, porque eu era muito jovem para tê-los visto antes. A primeira vez que os ouvi eu tinha sete ou oito anos e os amei imediatamente. Me lembro de cada palavra de cada canção, cada solo de guitarra, cada melodia. Eu era um bom fã de Guns N' Roses mas por causa da minha idade, não cheguei a vê-los. Então, sim, foi uma noite muito especial."