Bumblefoot não quis "trair" Axl tocando com Slash | GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Bumblefoot não quis "trair" Axl tocando com Slash

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Bumblefoot não quis "trair" Axl tocando com Slash


O guitarrista do Guns N' Roses, Ron "Bumblefoot" Thal, falou com a Vorterix da Argentina antes de seu show no show no dia 24 de novembro no The Roxy Palermo em Buenos Aires. Alguns trechos da conversa seguem abaixo (transcrito por BLABBERMOUTH.NET):

Sobre sua carreira solo:
Bumblefoot: "Antes do Guns, eu estava em turnê o tempo todo, fazendo minhas coisas, lançando meus próprios álbuns, fazendo todos os tipos de coisas. E, depois, uma vez que o Guns ocupou com toda uma turnê, isso lentamente ... Havia muitos conflitos com a programação e tudo o mais que fiz na minha vida lentamente ficou de lado, até que chegou um ponto que eu não estava lançando mais nada. E no segundo semestre deste ano, o Guns entrou em hibernação — como às vezes acontece — e foi tipo, "Quer saber" tenho que tomar as rédeas. Tenho que começar a fazer minhas coisas de novo e ser eu novamente. E comecei a fazer várias coisas, indo por todo o mundo, tocando com músicos locais e fazendo shows. E isso é o que me traz aqui esta noite."

Sobre os planos futuros do Guns N' Roses:

Bumblefoot: "O futuro é completamente imprevisível, todos vocês sabem disso. Esta apenas tentando dizer, 'Tudo bem, que direção o tornado vai seguir?' Tudo pode ser. Tenho certeza que em 2014... Na verdade, eu não deveria dizer 'certeza', porque é imprevisível. Mas posso assumir, mas quando assumimos, devemos fazer um ... Provavelmente haverá alguns shows no futuro, espero que haja algumas gravações concluídas no futuro. Gostaria de ver a banda compondo como uma banda desde o início e lançar alguma música. Tenho dito há anos que não devemos encarar um álbum inteiro, porque é uma mordida muito grande para levar. É demais — demora muito tempo, muito de um investimento de vida que não existe. Não neste dia e idade e não onde as coisas são com a banda. Seria melhor para nós fazer uma canção de cada vez e lançá-la. O que eu sempre quis fazer foi, antes de cada vez que saímos para fazer uma etapa da turnê, nos reuníssimos por uma semana no estúdio, escrevêssemos uma música, a terminássemos custe o que custar, depois lançamos e a tocamos na turnê e rádio.  Cada vez que saímos para tocar, teríamos uma música nova que fizemos. E se fizéssemos isso, seria um volume de material de um álbum lançado por essa banda agora. Sim, se eu fosse o mestre do universo, é o que teria acontecido. Quer dizer, você está lidando com outras sete pessoas e todos tem que estar a bordo e tem que concordar com uma estratégia. E tem que coincidir com quaisquer acordos de negócios existentes, ou preexistente que estão lá também. Quero dizer, é complicado."

Sobre o líder do Guns N' Roses, Axl Rose:
Bumblefoot: "Acho que tenho sido um pé no saco muito maior para Axl do que ele tem sido para mim. Com certeza."

"Eu sou muito sincero e honesto, quando eu provavelmente não deveria ser. Tipo, como quando você não deve dizer nada e ficar em silêncio, em vez de ficar em silêncio, eu vou (dizer alguma coisa) geralmente no rádio. E ele vai receber uma centena de e-mails sobre o assunto. Ou, provavelmente, apenas ouvir de todos os outros.

"Eu acho que de certa forma, de uma forma estranha, provavelmente ele gosta que eu seja um pé no saco. Porque mesmo no início, quando tivemos uma grande discussão da gestão, antes de entrar para a banda, eu me lembro de andar com ele e ele gostava do fato de que eu fui atrás de sua equipe de advogados que o gerente mandou atrás de mim para tentar me derrubar, e fui agressivo com eles. E lembro que ele me disse, quando saímos uma vez, e ele tipo 'Suas bolas, quando tocam, fazem", Clang''.

"Mas ele sabe o que ele vai ter comigo. Não vou dar-lhe palavras vãs e ser desonesto. Se ele me perguntar algo, vou dizer o que penso. E ele é um ser humano. Ele é como todos os outros."

"Você só quer a verdade. Ninguém quer jogos ou qualquer coisa assim. Você prefere ter más notícias honestas do que ser enganado com coisas que não são verdadeiras. E isso é uma coisa sobre ele é que ... Ele é um ser humano. Eu o conheço como pessoa. Eu sei quais são meus defeitos, eu sei quais são seus defeitos, eu sei quais são todos os defeitos. E somos todos humanos."

Sobre o recente vazamento da música "Going Down", supostamente atribuída ao Guns N' Roses com Tommy Stinson nos vocais e Axl Rose fazendo backing vocal:

Bumblefoot: "Sim, estou ciente de que algumas coisas vazaram."

"Quer saber? Aqui está o problema. E é por isso que eu digo que eu também sou um maior pé no saco de Axl, porque quando se trata de algo assim, quando há vazamentos, que é uma atividade ilegal que poderia, dependendo, levar a questões jurídicas, em que qualquer coisa que eu diga pode ser usado contra [nós]. Então, quando há vazamentos, é muito importante não dizer nada,  pois poderia afetar questões legais, e é melhor não falar sobre isso. Mas falo...

"Aqui está a coisa: antes de 'Chinese Democracy' ser lançado, que, como sabemos, fez exactamente cinco anos ontem, comecei a trabalhar em um álbum acústico chamado de 'Barefoot', que eu acabei liberando no mês seguinte, após 'Chinese' ser lançado. Então, eu tenho um pequeno EP acústico chamado 'Barefoot'. Havia uma canção adicional que eu gravei nesse álbum, junto com todo o resto, onde praticamente no álbum, teve apenas duas faixas de guitarra, talvez um pouco baixo no fundo e vocais; foi muito bruto — só violão, guitarra acústica, vocal. Eu fiz tudo sozinho. Enquanto eu estava com ele, eu meio que gravei uma música extra. Pelo que eu entendo... sim... Então, de qualquer forma, se você ouvir o álbum 'Barefoot', você pode notar uma semelhança no tom, no jeito de tocar e tudo nas outras canções acústicas que possam ter escapado ... Sim. Mas não sei nada de nada."

Sobre se ele se dá bem com antigos membros do Guns N' Roses:

Bumblefoot: "Guns N' Roses, é como uma vida que tem capítulos diferentes e há pessoas diferentes nesses capítulos, e eu estou em um desses capítulos e esses [outros] caras estavam em um capítulo e somos todos parte do grande livro, somos todos parte do grande livro do Guns. E é legal. Estou em contato com um monte de caras e outras coisas, e todo mundo é legal umas com as outras. Realmente, os que eu vou chegar e enviar um e-mail para dizer 'oi' são o Duff McKagan e o Gilby Clarke.

"Acho que as pessoas querem que sejamos esses super-heróis e vilões, o bem contra o mal, esses personagens de luta livre de homens bons e maus, mas somos todos músicos. E isso não é a coisa que nos separa, é a que temos em comum. É, como, tocamos na mesma banda. E às vezes ao mesmo tempo. Às vezes Izzy [Stradlin] se junta a nós no palco, às vezes Duff. É muito bom. Então depois, todos nós saímos para o jantar. E de vez em quando, as nossas esposas estão conversando e outras coisas. E é tudo de bom. Todo mundo é legal."

Sobre se ele mantém contato com Slash:

Bumblefoot: "Essa eu tenho que evitar. Simplesmente porque há uma relação bem quente entre Axl e Slash. Não quero que Axl se senta traído, se eu ... Eu acho que o incomodaria se ... [o Slash e eu] tivéssemos vários amigos em comum, no entanto.

"(Slash e eu) praticamente ficamos em uma situação em que podíamos ter subido no mesmo palco juntos em Las Vegas, em julho. Eu estava tocando com o baixista do PANTERA, Rex Brown e Brian Tichy na bateria, que havia tocado com Slash, e estávamos fazendo várias covers do KISS em Las Vegas, apenas nos divertindo. E foi na mesma noite que Slash faria seu último show e ele estava em Las Vegas. Sim, estávamos tocando não muito longe um do outro, e havia rumores de que ele viria e tocaria no palco. E eu fiquei, tipo, 'Hmmm ....'

"Porque, para mim, eu não tenho problemas com ninguém...Embora eu tenha alguns problemas com o Sr. Adler. Porque ele tende a dizer algumas coisas desagradáveis ​​sobre a banda atual, e então eu digo algumas coisas de volta, e então ele se desculpa, e nós ficamos bem, e eu converso com ele, e então ele diz de novo, ele diz algo ruim novamente. Steven, pare com isso! Mas mesmo assim, se eu o visse, eu lhe daria um grande abraço. Eu diria a ele o quanto ele é um pé no saco, em seguida, eu lhe daria um abraço.

"Mas houve bastante conversa naquela noite, várias mensagens de texto indo e voltando entre o Slash e os caras com quem eu estava tocando as covers do Kiss, sobre ele vir e se juntar no palco para uma canção. E eu fiquei, tipo, eu não quero ser rude e cair fora, porque isso seria apenas, como, um insulto. Se ele ficar no palco, tipo, 'Tudo bem, você toca', e eu estou saindo. Mas, então, se eu tocasse com Slash, seria, tipo, não ficaria legal pro Axl, porque eu sei como ele se sentiria na verdade...Então, eu estava, tipo, 'Ahhh...o que eu faço'. Então, havia um monte de mensagens de texto e essas coisas rolando, apenas uma sensação do que os caras decidiriam. Descobriu-se que que o Slash tinha que pegar um vôo cedo para a Europa na manhã seguinte, então ele não veio no último minuto, acabou não rolando.

"Quero dizer, eu não estava preocupado com isso, porque eu disse o seguinte, 'Sabe de uma coisa?! Tudo o que tiver que acontecer vai acontecer'. Você apenas consegue um tipo de confiança sobre a situação. E honestamente, não importa, o mundo não vai desmoronar. É um grupo de músicos tocando e se divertindo. Em última análise, é só isso."

Nenhum comentário:

Postar um comentário