Confira entrevista de Axl Rose para a Revolver Magazine | GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site GNR Fans - Guns N' Roses Fan Site: Confira entrevista de Axl Rose para a Revolver Magazine

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Confira entrevista de Axl Rose para a Revolver Magazine


A edição número 115 de junho/julho da Revolver Magazine traz uma entrevista exclusiva com Axl Rose, que também é capa da nova edição da revista. Confira abaixo:

"Nós gravamos muitas coisas antes do Chinese ter saído. Nós trabalhamos mais nessas coisas e escrevemos outras coisas novas. Mas basicamente, nós temos o que eu meio que chamo como a segunda parte do Chinese. Isso já está gravado. Também temos um disco de remixes das músicas do Chinese. Isso já está pronto há um tempo também. Mas depois de Vegas, começaremos a ver muito seriamente o que faremos a respeito disso."

AXL ROSE – O FRONTMAN DO GUNS N' ROSES E GANHADOR DO RONNIE JAMES DIO LIFETIME ACHIEVEMENT AWARD NÃO CONTA MENTIRAS.

"Nós brincamos no backstage que depois de eu ter ido receber meu prêmio, vocês iriam me enfiar em um tubo ou coisa assim, como no The Running Man," (NOTA: Romance do escritor Stephen King, “O Concorrente” em Português) Axl Rose diz com uma risada. "Eu preciso cair nessa e lutar ou coisa assim..."

Para o alívio de Rose, ao aceitar seu prêmio Ronnie James Dio Lifetime Achievement, a Revolver não o mandou, com estátua em mãos, para batalhar contra guerreiros subterrâneos. Mas seguindo os discursos da lenda da comédia Andrew "Dice" Clay e de um empolgado Nicolas Cage, Rose realmente foi para o trabalho. O cantor e seus companheiros de Guns N' Roses – guitarristas DJ Ashba, Bumblefoot e Richard Fortus; tecladistas Dizzy Reed e Chris Pitman; baterista Frank Ferrer; e o Gunner original Duff McKagan. (substituindo o baixista atual, Tommy Stinson, que está afastado para uma reunião de sua antiga banda, The Replacements) — subiu ao palco do Golden Gods para encerrar o show em grande estilo, tocando um set de 9 músicas e mais de uma hora de duração, contando com clássicos do Appetite for Destruction ("It's So Easy," "Welcome to the Jungle," "Paradise City") e Use Your Illusion ("You Could Be Mine," "November Rain," "Knockin' on Heaven's Door"), com algumas músicas do Guns do século 21 (as faixas do Chinese Democracy "Better" e "This I Love") fazendo um bom balanço. Foi uma performance dinâmica que cobriu sua carreira, condizendo com um artista que acabara de ser honrado com um prêmio de conquistas da sua carrira. O que não quer dizer que todas essas conquistas estão no passado. Como Rose diz à Revolver em sua rara e exclusiva entrevista, há ainda muito trabalho pela frente para o Guns N' Roses, tanto nos palcos e, ele revela, no estúdio. (A banda lançará um novo DVD e Blu-Ray, Appetite For Democracy 3D: Live at the Hard Rock Casino - Las Vegas, no dia 1º de Julho.) Então, enquanto ele estava feliz por aceitar seu Lifetime Achievement Award, ele também deixou claro que ele ainda está longe de se aposentar.

"Esperançosamente, ainda terão mais alguns anos," Rose diz, "e então poderemos julgar tudo um pouco melhor." Ele ri novamente. "Se eu tiver sorte!"

Parabéns pelo Ronnie James Dio Lifetime Achievement Award.
Obrigado. Foi na verdade uma surpresa para mim. E eu agradeço e tudo mas, pessoalmente, eu não sinto que fiz o suficiente para ter um prêmio de conquistas ao longo da minha vida. Mas isso sou apenas eu. Eu sei que outras pessoas ficaram muito felizes por mim quanto a isso então isso é uma coisa boa. Eu penso sinto como, você sabe, foi um longo, lento processo além da compreensão com Chinese Democracy, mas ele ainda está seguindo em frente e há muito mais que esperamos fazer.

Foi um momento legal quando Nicolas Cage veio lhe entregar sua estátua.
"Ele é um grande fã. Não havíamos nos conhecido antes, mas soube que ele se ofereceu para fazer isso. Então isso deu certo e nos encontramos antes do show e foi muito legal. Mas eu não ouvi nada do que ele ou o Dice falaram sobre mim no palco. Não veio nada no meu in-ear (monitores). E realmente, qualquer coisa que eles falaram de fato que foi elogioso, é provavelmente melhor que eu não tivesse ouvido para que eu não ficasse mais sem graça."

Uma coisa que Nicolas Cage de fato admitiu foi que ele se preparou para seu papel de Johnny Blaze no filme ”O Motoqueiro Fantasma” estudando sua “dança da cobra” no palco.
"Ele me disse isso antes do show! Pois estávamos falando de alguns de seus filmes e eu disse que realmente gostei do segundo “Motoqueiro Fantasma”. Então ele me contou sobre isso. Ele disse que foi como se eu estivesse no filme."

Então quando você o assistiu, você parou e disse, “Espera aí...”
[Risos] Eu não sei quanto a isso. Embora gostaria de ter algumas daquelas habilidades...

Como Dice se envolveu com a apresentação?
Eu conheço o Dice há muito tempo. Mas não o víamos desde que tocamos na Gibson Amphitheatre [em L.A.], em '06, eu acho. E eu não sei exatamente como tudo se acertou com seu discurso, mas ele me perguntou antes do show se eu havia lhe enviado uma mensagem no Gmail. Eu disse “Não, não uso Gmail.” Então alguém provavelmente estava falando com ele por lá fingindo ser eu.

A atração principal do Golden Gods geralmente toca 4 ou 5 músicas. Guns N' Roses tocou 9.
Nós queríamos fazer isso. Ficamos muito felizes que vocês nos permitiram isso. Ficamos felizes de termos sido convidados e nos divertimos lá.

E mesmo assim pro Guns isso foi uma performance curta – vocês são conhecidos por fazerem shows que chegam perto de 3 horas.
Quando fazemos isso, como banda, sabemos que demos o máximo que poderíamos e o que parecia certo. E, geralmente, gostamos de dar às pessoas mais do que elas sentem que vale o que pagaram. Não sei se é necessariamente justo para as pessoas esperarem isso de nós, mas é algo que nos faz bem quando o fazemos. Como se nós topássemos o desafio e o batemos sem termos seguido o caminho mais fácil. Nós gostamos disso.

Há uma música sua que seja sua favorita de tocar nos palcos?
Eu realmente não consigo pensar em uma favorita. Eu meio que olho para qualquer tipo específico de show que temos de fazer como um todo. Mas uma coisa que eu realmente gosto de fazer quando não estou tocando ou cantando no palco é falar ao microfone com os outros caras pelo sistema de monitoramento e contar piadas e falar coisas pra tentar zoá-los enquanto tocam. [Risos]

Sério? Quem é o mais fácil de zoar?
DJ e Dizzy. Eu falo com eles durante seus solos. Isso é sempre muito divertido...

Duff nos contou que fora uma grande experiência para ele tocar novamente com o Guns.
Tudo correu muito bem. Demos muito duro e ele gostou de tocar as músicas mais novas do Chinese. E você sabe, é muito engraçado pois nós íamos falar sobre algumas coisas dos Illusions, e tem algumas coisas que ele não se lembra, tem coisas que eu não me lembro. Nós meio que completamos a memória um do outro. E o Duff que tocou esses shows não é o Duff que eu conhecia do que chamo “Guns Antigo” ou da formação do Appetite ou dos Illusions. Pois com esta formação, todos tentam fazer o seu melhor e todos estão focados. Eu não preciso falar pros outros caras o que eles precisam fazer, eles fazem por conta própria. Eles forçam muito uns aos outros. Isso também forçou o Duff, e ele gostou desse desafio. E ele se deu muito bem com os caras. Ele e alguns caras da banda e da equipe estavam fazendo o Yoga deles juntos durante as folgas, então...

Eu imagino que isso não é o que acontecia naqueles anos.
Antigamente? Não. Definitivamente não havia Yoga. [risos] Nessa hora eles beberiam o máximo que pudessem. E eles tinham esse jogo onde eles pulavam sobre um buraco e batiam contra uma cerca. Depois escorregavam pelo buraco, como se estivessem em coma. Essa era a versão de exercícios deles antigamente.

Foi ótimo ver você e o Duff dividindo os vocais em "It's So Easy," como nos velhos tempos.
Tem uma coisa divertida sobre alguns desses shows. Pois também tem essa fala em "Civil War" — "Peace could last forever." Duff escreveu essa parte, e ele a canta. E eu sempre fui fã da voz do Duff. Tem um elemento punk nela e eu sinceramente a adoro. Eu gosto de ouví-la.

Você acha que você e o Duff farão mais coisas juntos?
É possível. Ainda não sei. Depende de agenda, em quais shows Tommy quer fazer com o Replacements e coisas assim. E você sabe, quase todo mundo da banda tem algum tipo de problema rolando, pessoalmente. Há pessoas que perderam familiares. Outros estão lidando com separações. As vezes o tribunal se mete no caminho. Vida real!

Em que pé estão as gravações de novas músicas do Guns N' Roses?
Nós gravamos muitas coisas antes do Chinese ter saído. Nós trabalhamos mais nessas coisas e escrevemos outras coisas novas. Mas basicamente, nós temos o que eu meio que chamo como a segunda parte do Chinese. Isso já está gravado. Também temos um disco de remixes das músicas do Chinese. Isso já está pronto há um tempo também. Mas depois de Vegas [O Guns N' Roses fez uma residência no Hard Rock Hotel & Casino que foi até começo de Junho], começaremos a ver muito seriamente o que faremos a respeito disso.

Quando você estava começando com o Guns, qual era a sua ideia de sucesso?
Bem, eu acho que o Guns n' Roses conseguiu muito disso. Houve coisas que te desiludiram, mas houve muitas coisas que poderiam ser consideradas como ter alcançado o sucesso. A quantidade de vendas. A quantidade de pessoas que curtiram isso. Coisas assim. Mas eu acho que por mais que tentamos ficar acima dos negócios, nós fomos muito inocentes no que tange os negócios. Eu acho que houve coisas que poderíamos ter feito melhor, e eu acho que os selos e advogados e os homens do departamento artístico sabiam disso. Mas eles queriam que a banda fosse montada de uma forma que eles pudessem tentar manipular. E isso não deu certo para ninguém. Incluindo eles. Sabe, nós ainda não fizemos o que eu considero uma verdadeira turnê nos EUA [com a formação atual] por causa de antigos empresários e agentes tentando manipular isso para que não tivesse o sucesso que poderia ter. Para tentar me convencer a querer uma reunião [da formação original].

Você acha que as pessoas te forçaram a tentar fazer isso acontecer?
Bem, eu acho que há pessoas na indústria que acham que eles poderiam ganhar algum dinheiro com isso. Então é isso que eles querem. Mesmo a nossa última turnê em arenas nos EUA, que foi montada por outro empresário e agente, que eventualmente liberamos e assumimos nós mesmos ao longo da turnê. Mas na época que a assumimos, muito já estava decidido. Então nós fizemos isso funcionar para nós, mas se tivesse sido montado da forma que achávamos que deveria ter sido montado desde o princípio isso poderia ter feito mais sucesso do que fez.

Parece que, quando você relembra a sua carreira, você tem alguns arrependimentos.
Eu acho que falar que você não tem arrependimentos virou algo popular para muitas estrelas do pop ao longo dos anos. Eu não acredito nisso. Então sim, há coisas que eu poderia ter feito melhor...ou não. Ao mesmo tempo, eu não sei se eu teria sido capaz de fazer muitas coisas, quanto ao Guns N' Roses e o que aconteceu, de forma diferente.

Como ganhador do Lifetime Achievement Award da Revolver, quem você acha que merece receber esse prêmio?
É difícil dizer. Mick Jagger? Para mim, Mick Jagger é um dos maiores atletas que já viveu, apenas pelo quanto ele se entrega no palco. Eu vi os Stones em Vegas na sua última turnê e é evidente o quanto eles dão duro naquilo.

Como o Jagger, você se vê fazendo isso aos 70?
Eu estou começando a chegar lá! [risos] O maldito te obriga a trabalhar nisso, não é? — com Guns N' Roses.















Fonte: Perfectcrime.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário